Reeleito vice-presidente da República em 2014, Michel Temer se tornou presidente em exercício do Brasil em 12 de maio de 2016, em razão do afastamento temporário de Dilma Rousseff.

Nesta sexta-feira (12), dia em que se completa um ano do governo Temer, o G1 relembra os principais fatos que marcaram os 12 primeiros meses da gestão do peemedebista na política e na economia.

A reportagem também relembra as crises protagonizadas no Executivo federal no último ano, envolvendo ministros e o próprio presidente.

Temer assumiu efetivamente o comando do Palácio do Planalto em 31 de agosto, após o Senado cassar o mandato de Dilma.

POLÍTICA
Logo após o Senado afastar temporariamente Dilma da Presidência, às 6h34 do dia 12 de maio de 2016, Michel Temer assumiu o comando do país como presidente em exercício. No mesmo dia, o peemedebista deu posse aos 24 novos ministros do governo e fez o primeiro pronunciamento no Palácio do Planalto.

À época, Dilma não conseguiu reunir o apoio político necessário no Congresso para evitar a abertura do processo de impeachment. Ao assumir temporariamente a chefia do país, Temer formou uma nova base aliada, encabeçada pelo PMDB e composta, principalmente, por ex-aliados do PT, como PP, PR e PSD, e por adversários de Dilma, entre os quais PSDB, DEM e PPS.

Do G1