domingo, junho 16, 2024

Acusado de assassinar a ex-esposa em Ipirá, é condenado a 16 anos de prisão em regime fechado

Foi realizado nesta terça-feira (08), no Fórum Jaime Junqueira Aires da Comarca de Ipirá, o julgamento de Luiz Carlos Ferreira da Silva, conhecido como Linho Judeu, acusado pela morte da ex-mulher Alessandra Souza Rios, de 40 anos.

Além do feminicidio, Luiz Carlos, também respondia por três tentativas de homicídio: por atirar na direção da filha e de dois genros.

O crime aconteceu no dia 17 de janeiro de 2022, quando a Sandra retornava de uma festa no Distrito de Bonfim de Ipirá. A ação criminosa foi registrada por câmeras de segurança.

De acordo com depoimentos dados por familiares, a vítima foi atingida por cinco disparos de arma de fogo, chegou a ser socorrida para Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas não resistiu aos ferimentos.

Em seu depoimento, o réu se declarou culpado pelo assassinato da sua ex-companheira e negou as tentativas de assassinatos contra a filha e os genros.

O advogado das filhas, Dr. Matheus Biset, busca a condenação do acusado por feminicídio e por tripla tentativa de homicídio.

Já os advogados do acusado Luiz Carlos Judeu, sustentam que a história da tentativa de homicídio seria vingança por parte da filha.

O julgamento começou por volta das 9h da manhã e por volta das 20h, foi proferida a sentença ao acusado.

Luis Carlos Ferreira da Silva “Judeu” foi condenado a 16 anos de prisão em regime fechado.
Ele cumprirá a pena no Conjunto Penal de Feira de Santana, onde já se encontrava à disposição da justiça.

Caboronga Notícias com informações de Marcone Macedo, Léo Araújo e imagens de divulgação

recentes