domingo, abril 21, 2024

Advogado e escritor Bruno Pamponet homenageia Ipirá nos seus 168 anos

És a capital da bacia do Jacuípe.
Passagem para Chapada Diamantina
Conhecida pelos seus produtos, como couro e as ricas terras de caatinga.
Olho para suas matas, entre as serras
E vejo as aguas de cacimba.
Do rio do peixe ao malhador.
Nas suas ruas tem beleza e esplendor.

Ipirá como diz a canção.

É uma cidade altaneira, nas plagas do sertão.
O vaqueiro é o símbolo
Verdadeiro do Camisão.
O pássaro preto canta
E no amparo não existe solidão.
Perto da fazenda careta, ainda está a sua velha e primeira igreja.
Onde Vovô fez a sua comunhão
Existe o retrato do homem e da mulher do sertão.
Ipirá onde está a nação indígena que habitou este sertão?
Onde se encontra os irmãos que foram deixados na praça da bandeira pelo coronel Manelão?
Terra que a todos sabem acolher, de um povo hospitaleiro. Traz o formato de uma planície e local excelente de se viver.
Parabéns a esta terra que aprendi a amar, de nome tão forte, que ressoa do sul ao norte, simplesmente Ipirá

Bruno Pamponet Kuhn Pereira
Professor, Advogado e Poeta.

recentes