O saldo da primeira semana de campanha de Fernando Haddad (PT) no segundo turno teria sido negativo para aliados. Ele ficou na defensiva, rebatendo e criticando Jair Bolsonaro (PSL) nas redes sociais e não fechou aliança com forças do que classifica como de campo democrático.

De acordo com o blog de Valdo Cruz, do G1, interlocutores de Haddad acreditam que é preciso gerar fatos novos para começar a reduzir sua desvantagem na corrida eleitoral. O primeiro passo seria obter apoio oficial de nomes de destaque na sociedade e na política para reforçar a estratégia de que a candidatura não pertence só ao PT, mas de todos os que defendem a democracia e os direitos humanos. Joaquim Barbosa e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) são dois desses nomes.

Além disso, aposta-se na possibilidade de usar os programas de rádio e TV para destacar as contradições de Jair Bolsonaro, como sobre o Bolsa Família.

Por: Redação BNews com foto de Vagner Souza/BNews