quarta-feira, julho 17, 2024

Aplicadores do Enem reclamam de atraso no pagamento

Aplicadores do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2023, em todo o Brasil, estão reclamando de atraso no pagamento pelos serviços prestados nos dias 5 e 12 de novembro. O alvo das críticas é o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoções de Eventos (Cebraspe), empresa responsável pela contratação, que está sendo acusado de calote.

Segundo o edital do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o valor previsto para os pagamentos é de até R$ 384, dependendo da função, o que não foi feito. Uma mulher, que não quis se identificar, aplicou a prova do Enem na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC) do Coração Eucarístico, na Região Noroeste de Belo Horizonte, e até a data de hoje, não recebeu o pagamento.

“Uma coordenadora do Enem me disse que os pagamentos iriam começar no 15º dia útil, mas o meu e o da minha mãe, que trabalhou como fiscal de banheiro, ainda não foram pagos. Você tira dinheiro do seu próprio bolso, a passagem de ir até o local, a comida, já que você fica lá desde 9h e eles só dão um refrigerante, salgado e um bombom para ficar o dia inteiro. Estamos com esse prejuízo até agora, eu não acho justo, é um absurdo”, aponta.

Estado de Minas

recentes