sexta-feira, maio 24, 2024

Após repercussão negativa por pedir minuto de silêncio para autor de feminicídio, vereador pede perdão: “fui bastante infeliz”

Na última terça-feira (26), durante a sessão da Câmara Municipal de Feira de Santana, o vereador José Carneiro (MDB) solicitou um minuto de silêncio em homenagem a Mackeyb Oliveira, inspetor da Guarda Municipal de Araci, suspeito de matar sua esposa e posteriormente cometer suicídio. O pedido, no entanto, foi negado pela Câmara e repudiado pelo vereador Jhonatas Monteiro (Psol).

José Carneiro justificou sua solicitação alegando que o suspeito era uma figura querida na cidade e que o ato teria sido resultado de um “momento de fraqueza”.

“Eu queria pedir a vossa excelência, que no final desta sessão, a gente possa fazer um minuto de silêncio em homenagem ao cidadão Mackeyb, que infelizmente cometeu um crime, mas era uma pessoa querida nessa cidade. Todo ser humano tem momentos de fraqueza e eu tenho certeza que com Mackeyb foi um momento de fraqueza. E eu gostaria de prestar essa homenagem ao irmão do advogado Hércules, que infelizmente matou a esposa e se suicidou, Mackeyb Oliveira”, pontuou.

Após esse pedido, o vereador Jhonatas Monteiro expressou seu repúdio à proposta de homenagem ao acusado de feminicídio.

“Quero falar sobre um absurdo que aconteceu no início desta sessão, um colega pediu um minuto de silêncio a um sujeito que não vou nem sequer mencionar. Ele pediu um minuto de silêncio a um sujeito que assassinou a companheira, eu não acredito ser cabível, especialmente no mês de março, marcado pelo Dia Internacional das Lutas das Mulheres, a Câmara Municipal conceder um minuto de silêncio em relação a isso. Se houver minuto de silêncio deve ser em homangem a Geisa de Assunção Santiago, de 42 anos, barbaramente assassinada. Quero deixar meu repúdio. Felizmente, o minuto de silêncio não ocorreu, mas mesmo assim deixo meu repúdio”, concluiu.

Arrependimento

Entretanto, a repercussão negativa foi imediata sendo reproduzida por diversos veículos de imprensa, levando o vereador José Carneiro a se retratar na sessão. Em pronunciamento na Câmara e também por meio de um vídeo divulgado nas redes sociais, Carneiro reconheceu seu equívoco e pediu desculpas, especialmente à família de Geisa de Assunção Santiago, vítima do feminicídio.

“Fui bastante infeliz quando quis prestar homenagem a um cidadão que tirou a vida de sua esposa e em seguida tirou a própria vida. Quero ser solidário à família de Geisa. Sou casado, tenho filhas, tenho netas, tenho amigas. Quero nesse momento reconhecer o erro cometido, pedindo perdão, pedindo desculpas, em especial para as mulheres de Feira de Santana”, declarou o vereador em um vídeo.

Confira também nota divulgada pela Câmara Municipal de Feira de Santana

Reconhecendo ter cometido um equívoco, ao solicitar um minuto de silêncio do Poder Legislativo para o guarda municipal de Araci, Bahia, autor de um feminicídio, em Feira de Santana, o vereador José Carneiro (MDB) pediu desculpas, em pronunciamento na sessão de hoje (27) da Câmara. Ele se dirigiu aos seus pares no Legislativo e a toda a sociedade, mas especialmente à família de Geisa de Assunção Santiago, vítima do assassinato e esposa do servidor público.

A homenagem póstuma, na verdade, não foi cumprida, mas gerou grande repercussão, mesmo assim, na mídia e redes sociais. “Quem me conhece, sabe que meu caráter jamais permitiria fazer alusão a qualquer ato criminoso. Mas errei e assumo o meu erro”, declarou o vereador. Ele explicou que o fato se deu devido a um histórico de boa relação com a família do acusado, muito anterior ao fato. “No afã de lembrar de alguém com quem tive convivência familiar, cometi este grande equívoco. Qualquer ser humano está sujeito a erros e acertos. E feliz é aquele que reconhece e sabe dar a mão à palmatória, quando erra. Por isso, peço perdão à todos”, disse o vereador.

O parlamentar agradeceu aos diversos veículos de imprensa que já cederam espaço e veicularam sua retratação pública. “Assim como comunicaram o meu erro em suas notas, deram o espaço para veicular minhas desculpas. Na vida pública estamos expostos a críticas e elogios. E ninguém erra querendo, mas tentando acertar”, explicou José Carneiro.

Acorda Cidade

recentes