Depois do lamentável episódio da campanha eleitoral de 2012 onde estudantes de um colégio no município de Ipirá ensaiaram um protesto contra o então governador da Bahia Jaques Wagner, onde foram reprimidos pela segurança e o próprio governador também reagiu com gesto obsceno, o agora ex- ministro chefe da Casa Civil da ex-presidente Dilma Raouseff, está de volta a Ipirá na próxima quarta-feira (28), para participar do comício do grupo político aliado do Partido dos Trabalhadores (PT).

Para que o leitor  relembre o episódio, acompanhe abaixo, matéria que ganhou destaque em todo noticiário da Bahia.

Com o seguinte grito de guerra, os alunos do Colégio Maria Evangelina Lima Santos fizeram uma manifestação pacífica e foram agredidos pelo grupo de situação do município, tiveram seus cartazes rasgados e ainda receberam sinal negativo do governador desaprovando o ato.

O acontecimento se deu quando o Governador Wagner (PT) participou nesta quarta-feira (19/09/2012), de um ato político em apoio a candidata a prefeitura de Ipirá, Ana Verena (22).O Wagner, aprovou a união da candidata Ana Verena (PR) e Ademildo Almeida (PT), candidato a vice prefeito. Várias lideranças políticas acompanharam o governador, como os deputados federais Afonso Florence e Rui Costa.

A candidata Ana Verena defendeu mais investimento com compromisso para Ipirá, na área da educação e saúde com qualidade; mais implementos na Agricultura Familiar; Infra estruturas nas Estradas do Município, dentre outros. Ana Verena, assume o lugar do esposo Antônio Colonnezi, na coligação “Todos unidos por Ipirá”. Durante o ato político o governador Wagner foi vaiado pelos professores e estudantes que publicaram vídeo e nota no Youtube.

“Nós alunos do Colégio Maria Evangelina Lima Santos fizemos uma manifestação pacífica nessa manhã dia 19/06, dando ênfase na desvalorização da educação na Bahia, nos R$ 729.192.191,00 de redução da educação e no não reajuste salarial dos nossos mestres. Ao chegar na avenida principal da cidade, lugar público, tivemos nossos cartazes rasgados e fomos agredidos verbalmente e fisicamente por alguns que ali estavam, cena que me fez sentir no período da ditadura. Nada disso foi capaz de nos calar, gritamos, vaiamos, e pedimos uma explicação. Ao se deparar com tantos alunos revoltados e em busca de resposta, o Governador da Bahia fez um sinal de negativo para os que ali estavam, deplorável, nós estudantes, jovens, e moradores dessa cidade merecemos respeito, nós somos o futuro dessa nação!

Caboronga Notícias