Vivendo mais um capítulo do drama que se abateu sobre os comerciantes do Mercado de Artes de Ipirá, em novembro do ano passado, um grupo compareceu à sessão da Câmara de Vereadores, na manhã desta terça-feira (18), para mais uma vez pedir aos vereadores, empenho para amenizar a situação em que os artesãos e donos de bares do Mercado de Artes estão vivendo.

Entenda o caso:

Um incêndio atingiu o mercado municipal de Ipirá, a cerca de 200 quilômetros da capital baiana, na noite de terça-feira (22/11), de acordo com a Polícia Militar. O fogo destruiu grande parte dos restaurantes e lojas de produtos artesanais. Populares, com ajuda de carros-pipa, e o Corpo de Bombeiros conseguiram apagar o fogo. O local estava vazio no momento do incêndio e ninguém ficou ferido.

Segundo a PM, o fogo começou por volta de 21h20, quando o Corpo de Bombeiros foi acionado. Populares atuaram com carros-pipa para controlar o fogo, enquanto aguardavam a atuação dos bombeiros, que conseguiram chegar cerca de 40 minutos depois.

Ainda de acordo com a polícia, duas viaturas dos bombeiros, das cidades de Itaberaba e Feira de Santana, chegaram ao local e terminaram de apagar as chamas. Não há informações sobre o motivo do incêndio.

Um dia após o incêndio, os comerciantes dos bares e box de artesanato do Mercado de Artes de Ipirá, se reuniram na tarde da quarta-feira (23/11), no plenário da Câmara de Vereadores para discutirem com o prefeito Juracy Oliveira Júnior (Jota Oliveira), uma solução a respeito do incêndio que destruiu na noite de ontem praticamente todas as instalações daquele importante patrimônio cultural e turístico.

Após inúmeras tentativas em busca de uma breve solução, ficou acordado que a prefeitura construirá box ao lado do mercado com toda infraestrutura necessária para que os artesãos possam comercializar os seus produtos. Estes boxs serão em forma de toldos com divisórias de maderite e sanitários químicos.

O prefeito Jota Oliveira no final do encontro garantiu que buscará todo amparo jurídico no sentido de que possa o município amenizar o prejuízo de todos os que trabalhavam no Mercado de Artes.

Só que, até esta terça-feira (18/04), nenhuma solução foi tomada por parte do poder público municipal ou mesmo estadual, para aliviar o sofrimento destes comerciantes que perderam tudo que ali comercializavam. Já existe caso de princípio de depressão de artesã, diante de tamanho prejuízo causado pelo incêndio.

Diante da repercussão do sinistro na mídia baiana, deputados se pronunciaram em favor dos comerciantes do Mercado, só que, até então tudo não passou de manchete de mídia.

Os deputados Jurandy Oliveira e Neusa Cadore, representantes do município, quando na ocasião do incêndio do Mercado de Artes, em sessão da Assembleia Legislativa da Bahia, discursaram em defesa dos artesãos. Um prometeu buscar recursos para ajudar os comerciantes que perderam tudo no incêndio e a outra prometeu junto ao governo do estado, a criação de um Corpo de Bombeiros em Ipirá. No entanto, até então tudo não passou de falácia, assim como as ambulâncias que o parlamentar prometeu trazer para o município e que sequer chegaram.

O prefeito Marcelo Brandão em reunião com os feirantes na última quita feira (26/01), entre vários assuntos ali discutidos, falou que realizará uma grande reforma das praças de Ipirá, inclusive na Praça José leão dos Santos, onde segundo ele, será a maior e mais bonita praça de eventos do Nordeste. Subentende-se, que o Mercado de Artes será inserido nesta reforma, já que em nenhum momento da reunião o prefeito falou sobre ele.

Na sessão desta terça-feira (18), os vereadores prometeram aos artesãos que formação uma comissão para tentar de uma vez por todas resolver esse impasse junto ao prefeito Marcelo Brandão.

Caboronga Notícias