Na Sessão Ordinária da Câmara de Vereadores, realizada na manhã desta terça-feira (02), o senhor Julho Oliveira Silva, representando os comerciantes e artesãos do Mercado de Artes de Ipirá, fez uso da tribuna livre daquele parlamento para solicitar o empenho dos vereadores para resolver o impasse entre a categoria e o poder público municipal, desde que o Mercado de Artes incendiou no dia (22) de novembro de 2016.

Entenda o caso
Um incêndio de grandes proporções atingiu, na noite de ontem (22), o Mercado de Artes de Ipirá, um dos principais pontos turísticos da cidade.

Informações de testemunhas dão conta de que populares chegaram a saquear mercadorias de estabelecimentos, o escritório de Administração do local, também foi arrombado e vários produtos eletrônicos, chegaram a ser levados por populares enquanto o fogo se espalhava pelo local. Até o momento, não há estimativas de quanto foi o prejuízo.

Vários carros pipas foram enviados ao local da ocorrência. Segundo informações o incêndio teve início por volta das 21hs, quando o fogo começou a se espalhar pelo estabelecimento “Mercado de Artes”.

Um laudo pericial irá apontar quais foram as causas que provocaram o incêndio.
Segundo o senhor Júlio, já se passaram quase seis meses do incêndio e até então nem o entulho foi retirado do interior do mercado.

“Nós estamos vivendo dias de sofrimento, pós além de perder tudo, estamos sem uma fonte de renda. Caso o prefeito Marcelo Brandão não se reúna com a gente para dar uma solução a nossa situação até a próxima terça-feira dia (09), vamos mobilizar o centro da cidade em um protesto, para ver se a gente consegue chamar a atenção das autoridades sobre a situação que estamos passando. Espero que o prefeito até lá, se reúna com a gente e aponte uma solução para todos nós”. Disse o senhor Julho.

Os vereadores se prontificaram a conversar diretamente com o prefeito Marcelo, para verem de qual forma o problema dos artesãos será resolvido. “Até porque são pessoas que tiravam dali o sustento das suas famílias e até então nenhuma solução foi dada para que aquelas 32 famílias possam voltar a trabalhar com dignidade”. Disse o vereador Deteval Brandão.

Caboronga Notícias