Uma dívida de aproximadamente R$600 mil em atrasos de contratos passivos fiscais e tributários acendeu o alerta dentro do PT da Bahia, conforme publicação feita nesta quarta-feira (29) pelo jornal Tribuna da Bahia.

De acordo com o impresso, às vésperas da decisão do Diretório Nacional que definirá, na próxima sexta-feira (31), quanto será distribuído para cada estado do Fundo Eleitoral 2020, a gestão petista no estado teria sido notificada sobre ações judiciais relacionadas a débitos de campanha de 2014.

Segundo o jornal, a soma pode alcançar a casa dos R$10 milhões. Nacionalmente, a sigla mais endividada com débitos de campanha é também o PT, com um rombo de cerca de R$25 milhões.

Além dos petistas, o ranking dos endividados apresenta na ponta o Avante (R$3,4 milhões), o MDB (R$1,1 milhão), o PSDB (R$848 mil) e o PCdoB (R$712 mil). Um levantamento do jornal O Estado de São Paulo aponta, somente em 2017, que os partidos desembolsaram mais de R$22,6 milhões com pagamento desse tipo de despesa.

Com dados do site Política Livre e da Tribuna da Bahia.