Anda assim, o Governo do Estado considera que 493 vidas foram preservadas no ano com o trabalho que considera ostensivo e de prevenção das Polícias Militar, Civil, Técnica e do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia, no primeiro semestre de 2019, comparado ao mesmo período do ano passado. Foram registrados 2.586 de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) (assassinatos por arma de fogo, faca, etc.) de janeiro a junho deste ano contra 3.079 de 2018, o que, em termos percentuais, representa uma queda de 16%.

Na capital, a redução foi de 17,4%, sendo 499 casos registrados no 1º semestre de 2019, ou seja 2,77 mortes por dia, contra 604 do mesmo período do ano anterior, garantindo 105 vidas. Já na Região Metropolitana de Salvador (RMS) foram 72 casos a menos (-19,4%), 301 contra 373. No interior do estado, 316 vidas foram preservadas em relação a 2018, 1.786 contra 2.102, diminuindo 15,1% de registros.

Em 2007, quando o PT assumiu o Governo do Estado, eram 3,3 mil assassinatos por ano, ou seja, em termos comparativos, em 12 meses de 2019, mantidos os nímeros atuais, a expectativa é de 5,2 mil mortes violentas.

“Toda e qualquer vida preservada é uma vitória para nós, entretanto, ainda temos muito trabalho pela frente. O objetivo é que a redução seja a cada período mais expressiva em todos os crimes, sobretudo em mortes violentas. Estamos sempre buscando formas de aprimorar o trabalho para que a tranquilidade seja protagonista em todas as cidades do estado”, declarou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Fonte: Mariana Andrade / Ascom/SSP/BA