segunda-feira, julho 22, 2024

Cachoeira vira capital da Bahia em início de comemoração ao 2 de Julho

Como é tradição há quase 20 anos, o município de Cachoeira, no recôncavo baiano, virou a capital da Bahia neste 25 de junho. A transferência simbólica da sede do governo aconteceu nesta terça-feira, 25, com presença do governador Jerônimo Rodrigues (PT).

A transferência lei desde 2007 e reconhece a importância da cidade, conhecida como “heróica”, na luta pela independência do Brasil na Bahia. Esse é um marco de início da programação para o 2 de Julho, comemoração da Independência do Brasil na Bahia.

A programação ainda prevê a partir do dia 30 de junho, a passagem do fogo simbólico. O roteiro sai de Cachoeira, às 7h, e segue pelas cidades Saubara, Santo Amaro , São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho até chegar em Salvador. Ainda dá uma volta por Dias D’Ávila, Camaçari, Lauro de Freitas e Simões Filho até a chegada ao bairro Pirajá, na capital baiana.

“O Brasil foi governado por muito tempo com pessoas que ficavam em Brasília de costas para o Brasil, não olhavam para o norte, não olhavam para o nordeste e nós precisamos mostrar o nosso potencial. A independência do Brasil começou aqui, a resistência, a luta, tanto quanto Santo Amaro, Cachoeira, tem uma história de resistência e nós na celebração do 2 de julho, iniciando aqui com o governo se instalando na Cachoeira, temos a oportunidade de mostrar ao Brasil essa força”, disse o governo Jerônimo Rodrigues.

“Eu determinei ano passado que nós pudéssemos encaminhar ao governo federal, também do MEC, um material que pudesse orientar os currículos escolares para mostrar ao Brasil a nossa história. Mas não é história da Bahia, não é história de Cachoeira, é história do Brasil. Eu encaminharei, a partir de hoje, um documento ao ministro Camilo, orientando que os livros, que o nosso currículo do MEC possa contar a história real da gente. Nós não vamos negar outra história. Inclusive, reconhecemos pontos importantes da independência do Brasil no 7 de setembro. Mas o 2 de julho e o 25 de junho é muito importante pra gente”, acrescentou.

Fonte: A Tarde

recentes