Primeira deputada estadual da Bahia, Ana Oliveira (1913 – 1985) era a única mulher na sua legislatura – a 4ª da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). O pioneirismo de Ana não ficou somente aí. Foi também a primeira mulher a ocupar um cargo na Mesa Diretora. Exerceu, segundo o site da AL-BA, a função de 4ª secretária da Mesa Diretora (1963-1964) e 3ª vice-presidente da Mesa Diretora (1965).

Hoje, com a nova eleição da Mesa que aconteceu nesta quarta-feira (1º) e sagrou Ângelo Coronel (PSD) como novo presidente do Poder Legislativo baiano, nenhuma mulher ocupa espaço no colegiado que tem poder deliberativo. Com essa ausência, a AL-BA caminha para quatros anos sem nenhuma representação feminina na Mesa Diretora.

Presidente da Comissão da Mulher na Casa, a deputada Fabíola Mansur (PSB) considera que a bancada feminina na AL-BA é “competente, atuante e excluída” e articula, com o novo presidente, a votação de um projeto que determina a presença de pelo menos uma mulher na titularidade da Mesa Diretora.

“Eu acho que a pluralidade da Casa tem que ser considerada não só na proporcionalidade dos partidos, mas no gênero. Tem um projeto da deputada Neusa Cadore (PT) que estabelece a obrigatoriedade de uma mulher na titularidade da Mesa. Vamos pedir ao novo presidente que vote este projeto”, afirmou.

A última mulher a ocupar um cargo na mesa de deliberações foi a deputada Fátima Nunes (PT), em 2013, quando ocupou o cargo de 4ª secretária. Na atual composição da mesa, duas mulheres são suplentes: Fabíola Mansur e Ivana Bastos (PSD).

Bocão News – Por Alexandre Galvão | Fotos: Carlos Eduardo / Assessoria Luiza Maia