terça-feira, abril 23, 2024

Caso de meningite meningocócica é confirmado no interior da Bahia

Uma paciente de 24 anos foi diagnosticada com meningite meningocócica na segunda-feira (28), em Alagoinhas, a cerca de 110 quilômetros de Salvador. O resultado foi divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA), através da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab).

Não há detalhes sobre o estado de saúde da paciente, que está internada em isolamento no Hospital Regional Dantas Bião (HDRB), também em Alagoinhas. A meningite meningocócica, infecção das membranas que recobrem o cérebro, é causada pela bactéria Neisseria meningitidis (meningococo) e é mais grave quando atinge a corrente sanguínea, provocando infecção generalizada.

Pessoas que tiveram contato com ela estão sob vigilância e monitoramento da equipe de referência da vigilância epidemiológica.

Na última semana, a Secretaria Municipal de Saúde de Alagoinhas informou que havia sete casos suspeitos da doença na cidade. Um deles foi confirmado na segunda-feira e não há informações se os outros casos foram descartados ou estão em análise.

De acordo com a Sesab, entre 1º de janeiro e 8 de agosto de 2023 foram confirmados 251 casos de meningite, sendo 106 bacteriana, 55 viral, 15 por outra etiologia e 75 não especificados. Do total de casos, 47 morreram. Já em 2022 foram confirmados 253 casos de meningite e 48 óbitos.

A doença pode ser transmitida através da fala, tosse, espirros e beijos. Em nota, a Sesab informou que a forma mais eficaz de prevenção é através de três tipos de vacinas disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

São elas:

> Vacina meningocócica C (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelo sorogrupo C;
> Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada): protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite;
> Pentavalente: protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae.

Do G1Bahia — Foto: Reprodução/TV Bahia

recentes