Não foram informados o estado de saúde da jovem, bem como dados do veículo e do outro ocupante envolvido no acidente.

O delegado Fabrício Alencar disse que no local onde o corpo de Dorian foi encontrado, não foi possível colher muitas informações. De acordo com ele, o lugar é de difícil acesso, tem um matagal e poucas residências próximas.

“A única informação que obtivemos no local foi que um veículo branco teria chegado e alguns disparos foram ouvidos por alguns moradores. Esse mesmo veículo se evadiu do local. As pessoas não conseguiram informar que veículo era. Informaram apenas que era um veículo branco”, afirmou.

O carro da vítima o automóvel SW4, branco de placa OKU-1162 ainda não foi encontrado, segundo informações da polícia. O delegado contou também que há hipótese de homicídio, principalmente pelas características do crime. O corpo de Dorian foi encontrado com as mãos amarradas para trás com um fio de carregador de celular.

“O latrocínio é uma hipótese que não podemos descartar. Mas, diante do contexto e levando em consideração a situação financeira e social da vítima, acreditamos mais na questão do homicídio”, enfatizou.

O celular de Dorian foi encontrado por um morador às margens da BR 324 e já foi entregue à Delegacia de Homicídios. Antes de morrer ele recebeu uma ligação e disse que ia resolver algumas questões. De acordo com o delegado, o aparelho será periciado e amigos e familiares que estiveram com a vítima momentos antes do crime também serão ouvidos.

“Vamos fazer uma análise minuciosa desse aparelho e vamos chamar todas as pessoas que tem alguma informação a nos dar sobre ele.O dia dele de ontem temos que reconstruir para criar a dinâmica do crime. Vamos chamar as últimas pessoas, amigos e familiares que estiveram com ele no último momento e isso será de suma importância para nós”, concluiu.

Informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade e foto: Reprodução/Jorge Magalhães.