Chuva deixa desalojados e desabrigados em Simões Filho e prefeitura decreta situação de emergência

A prefeitura da cidade de Simões Filho, na região metropolitana de Salvador, informou que decretou situação de emergência neste domingo (12) por conta das fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias.

De acordo com a Defesa Civil, centenas pessoas ficaram desalojadas no município. Mais de dez pessoas desabrigadas estão temporariamente em uma escola municipal.

Conforme a prefeitura, a cidade registrou, em menos de 72h, 194mm de chuvas, o esperado para o mês de maio inteiro. Houve registros de três quedas de árvores, quedas de muro, deslizamento de terra, alagamento imóveis e de vias, além de destelhamento de casas. Foram mais 100 chamados para a Defesa Civil.

As famílias desabrigadas e desalojadas foram cadastradas para receber auxílio aluguel, cestas básicas e colchões.

O decreto de emergência, segundo informou o prefeito Dinha Tolentino, foi publicado após reunião de balanço com equipe técnica sobre os efeitos negativos do temporal.

A prefeitura diz que, desde a sexta-feira (10), realiza atividades para amparar e acolher moradores que foram atingidos de forma mais intensa.

“Seguimos acompanhando de perto as famílias das localidades atingidas, adotando medidas para minimizar os danos. Agora, é momento de solidariedade e apoio às famílias vítimas da chuva”, informou o prefeito, Dinha Tolentino.

A prefeitura informa que as equipes continuam em plantão 24h e que, em caso de emergência, as pessoas podem entrar em contato com a Defesa Civil através dos números 199 ou 3296-9216.

Lauro de Freitas
Por conta dos transtornos com a chuva, a prefeitura de Lauro de Freitas, também na região metropolitana de Salvador, também decretou estado de emergência.

A cidade foi atingida por 206 milímetros de chuva nas últimas 72h, segundo informações da prefeitura do município. De acordo com a Defesa Civil do Estado, o índice é maior do que a média histórica de todo o mês de maio, que é de 186 milímetros.

Até o início da noite deste sábado (11), a prefeitura já havia registrado mais de 370 pessoas desalojadas na cidade, que foram abrigadas em escolas e templos religiosos.

No balanço da Defesa Civil, além das mais de 370 pessoas desalojadas, foram registrados cinco quedas de árvore que interditaram vias importantes, como a Rua Gerino de Souza Filho e Avenida Luiz Tarquínio, no Centro, quedas de muros, deslizamentos de terra, alagamentos de vias e destelhamento de casas.

De acordo com a administração municipal de Lauro de Freitas, o transbordamento dos rios foi a principal causa da inundação das casas. Além disso, ainda segundo a prefeitura, a concentração de chuva em um curto período de tempo coincidiu com a maré alta, que dificulta o escoamento das águas dos rios.

Por G1 BA — Foto: Divulgação