Uma coligação de grupos de direitos civis e humanos está pedindo a Joe Biden para acabar de forma imediata com a pena de morte a nível federal nos Estados Unidos, informa o The Guardian. A coligação quer que o presidente retire a sentença dos 49 reclusos que estão no corredor da morte e que restabeleça o fim nas execuções realizadas pelo governo norte-americano.

A coligação, que é liderada pela Leadership Conference on Civil and Human Rights e conta com outras 82 grandes organizações, entre as quais a Amnistia Internacional e a American Civil Liberties Union, escreveu uma carta dirigida a Biden.

O grupo lembra a promessa de campanha do presidente para “revigorar o compromisso da América com a justiça”. A coligação considera que a ambição de Biden de criar uma nação tão boa quanto os seus ideais nunca será concretizada a menos que ponha um fim ao “uso cruel, ineficiente e irreversível da pena de morte” por parte do governo federal.

Na carta endereçada a Biden, a coligação argumenta que acabar com a pena de morte é particularmente importante face ao compromisso do presidente com a justiça racial. Dos 49 reclusos no corredor da morte, cerca de 20 são negros.

Até Donald Trump ter recuperado a prática, o governo norte-americano desempenhava um papel muito pequeno na aplicação da pena capital, deixando-a principalmente à responsabilidade dos estados. Mas no ano passado, após um hiato de 17 anos, as execuções federais recomeçaram.

Entre 14 de julho de 2020 e 16 de janeiro deste ano – quatro dias antes de Trump sair da Casa Branca – a sua administração foi responsável pela execução de 13 reclusos.

Após ter vencido as eleições de novembro, um porta-voz de Biden ressalvou que o então presidente eleito era contra a pena de morte e que admitia pôr fim a essa prática.

COMPARTILHE
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •