Com a cara do ex-prefeito Marcelo Brandão

Você está ligado na situação? A pandemia já provocou mais de quatrocentos mil mortos no Brasil. A forma mais rudimentar de vida espalhou-se por arrabaldes. Da China para Ipirá. Sem pagar passagem, viajou clandestinamente em algum bem nutrido pulmão humano, agasalhado no bem-bom de uma poltrona em um avião supersônico.

Chegou e espalhou-se com a mesma rapidez. Não tem um brasileiro que não tenha um parente ou conhecido como vítima de seu ataque. Desmantelou estruturas estabelecidas. Arruinou alguns setores da economia; desarrumou o sistema educacional; desvendou as deficiências do sistema de saúde pública. Mostrou o desgoverno no comando da nação. A tarefa é reconstruir.

Falou-se em ‘efeito manada’, subestimou-se a gravidade da doença e negou-se a VACINA SIM como medida eficaz ao problema.

Uma CPI da Covid foi instalada no Senado Federal para apurar omissão e descaso diante da pandemia e que provocaram o afogamento do sistema de saúde. Se isso for coisa séria vai virar um vulcão nas instituições políticas e paralisar o país por um bom tempo.

O desemprego também amarrou seu jegue em Ipirá, aqui em nosso município tem um número acentuado de trabalhadores que não encontram um dia de trabalho, sobrevivem pelo biscate, quando aparece. É uma situação difícil, num país que mantém um desemprego gigantesco na casa dos quatorze milhões.

Outro visitante indesejável que chegou chegando à nossa terra e botando prá lá foi a tal da inflação. Os preços dispararam como nunca desde o Plano Real; na alimentação o preço detonou; o material de construção ganhou altura na hora da compra; o gás de cozinha poderá ser substituído pela lenha em muitos lares; a gasolina virou ouro.

A sopa tornou-se intragável: o preço da gasolina está azedo; a pose de porreta do dólar está derramando o caldo; o tal do mercado insuflado até o pescoço, tenta agir como se nada estivesse acontecendo, fecha os olhos para o humano das camadas populares e agracia o bolso das classes dominantes. O Estado é quem procura contornar a situação.

Com desemprego na fita e carestia na vida, a panela fica vazia e a famigerada fome bate na porta de milhões e milhões de pessoas, com cara e barriga de gente. Ipirá tem mais de dez mil famílias no Cadastro Único do Programa Bolsa Família. As filas do Auxílio Emergencial são enormes e dobram a esquina. A fome ameaça e atormenta muita gente em Ipirá.

A diferença entre um bilionário em dólar e um cidadão que só tem o dia e a noite é tão acentuada, igualmente vergonhosa e indecente que o presidente americano Joe Biden encaminhou uma proposta ao Congresso americano para taxar esta pequena casta milionária como forma de redimir essa grande massa populacional descartável, desprezada e humilhada que vegeta na sociedade deles e enche a dos demais humanos.

O prefeito Dudy tem toda essa barricada na sua frente: pandemia, desemprego, inflação, fome. Fazer o que, prefeito?

Com a CPI da Covid não podemos esperar muita coisa do governo federal. O governo estadual também tem um caixa liso e muita despesa. Desse mato não sai coelho. Ano que vem será ano eleitoral, dizem que é perdido. O prefeito está atolado nisso até o pescoço.

O prefeito Dudy tem muita carne de pescoço atravessada na sua garganta: um racha no grupo da macacada e uma administração amarrada no poste.

Não sei se o prefeito Dudy tem sabedoria política suficiente para desatar o nó. O líder Diomário encontra-se afastado por conta da brisa do mar, do saboreio de caranguejo e da deliciosa moqueca de lagosta para não ficar se estressando com coisas de macaco.

O líder Antonio Colonnezi vem colocando nas redes sociais a precária condição da saúde pública de Ipirá, que caminha por terreno minado. O prefeito Dudy não dá a menor importância, mostra-se indiferente diante dos comentários do grande líder.

O líder Jurandy Oliveira fica só na moita, não diz que está bonito ou feio. Só observa e fica só no bote. A vice-prefeita Nina observa e fica encantada com a posse do vice-governador do Rio de Janeiro Cláudio Castro, que virou governador. Nas viagens do pensamento, todos os sonhos podem ser realizados.

O prefeito Dudy embrenhando nas sombras da vaidade de quem chega ao poder, tal qual o ex-prefeito Marcelo Brandão, navega na corda bamba, mais prá lá e bem prá cá, sem conseguir, até o momento, se desligar do fantasma e da fantasia administrativa do ex-prefeito Marcelo Brandão.

O Ipirá do prefeito Dudy tem a cara do ex-prefeito Marcelo Brandão, que o diga a ‘casa do fifó’ fincada no jardim da Praça da Bandeira, sem servir para nada.

Por Agildo Barreto