terça-feira, junho 25, 2024

Com destaque para a importância da preservação das tradições, governadora em exercício confere abertura do 1º FENABA

A riqueza e a diversidade do artesanato brasileiro vão tomar conta da capital baiana nestes três dias. Na Arena Fonte Nova, em Salvador, aconteceu até este domingo (19), o 1º Festival Nacional de Artesanato na Bahia (FENABA). A governadora em exercício, Cynthia Resende, participou da abertura do evento, nesta sexta-feira (17), ao lado da ministra da Cultura, Margareth Menezes, do ministro do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França e do secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães, para conferir de perto os trabalhos de diversos artesãos.
“Esse evento é uma iniciativa de valorização da nossa cultura, do nosso artesanato, uma oportunidade para esses artesãos e artesãs mostrarem o seu trabalho, fomentar o turismo e gerar renda”, declarou a governadora em exercício, logo após assistir uma apresentação da cultura indígena.
Além da comercialização de produtos, o festival conta com salão de negócios, desfile de moda artesanal, atividades de qualificação, espaço infantil e gastronomia. O ministro do Empreendedorismo, da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, Márcio França, destacou a contribuição do festival para a geração de emprego e renda.
“É um estado que tem uma composição muito forte no artesanato, com muitos mestres, são mais de 17 mil artesãos que estão regularizados, e outros tantos que existem sem regularização. As feiras são uma grande exposição. Nós vamos começar agora a fazê-las também internacionalmente”, enfatizou o ministro Márcio França.
A proposta é articular políticas públicas voltadas para o desenvolvimento do artesanato, com a valorização dos artesãos e ações destinadas à geração de trabalho e renda. Para o secretário do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães, o evento consolida a política do artesanato baiano. “Já fizemos diversas feiras, nas 20 rotas que compõem as rotas do artesanato do Estado, com qualificação profissional e carteiras para os artesãos. A realização do primeiro Festival Nacional do Artesanato na Bahia é a demonstração dessa política do Estado, de fazer com que todos os artesãos e artesãs tenham essa grande vitrine, que é um projeto de exposição”, concluiu o titular da Setre.
Além da Bahia, estarão representados os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Piauí, Sergipe, São Paulo e o Distrito Federal. Com toda esta pluralidade de participantes, o secretário de Turismo, Maurício Bacelar, explica a contribuição do evento para o setor. “O artesanato é a manifestação cultural de um povo, e aqui temos uma diversidade e uma riqueza muito grande na produção de artesanato nas mais diversas zonas turísticas. Um evento como esse, além de movimentar os equipamentos turísticos, é também uma promoção do destino Bahia, já que o patrimônio natural baiano é um dos pilares do turismo”.
Com manifestações culturais e apresentações musicais integrando a programação. A ministra da Cultura, Margareth Menezes, pontuou que este é o momento de apoiar e festejar o artesanato brasileiro. “Eu acho fantástico. Acho realmente um momento que a gente tem que festejar e o mundo também apoiar. É importante o apoio da sociedade civil para esse projeto se fortalecer e se materializar. Porque a gente acredita nessa força de geração de emprego e renda que tem no artesanato. Não só na Bahia, mas nacionalmente tem acontecido esse movimento e é maravilhoso”.
 

Secom  –  Bahia

recentes