A Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) registrou um aumento no índice de estupros em Feira de Santana no ano de 2019 em comparação ao ano de 2018. Só em 2019, foram registrados 70 estupros, isto é, 17 estupros a mais do que no ano de 2018, que resgistrou 53 casos.

A delegada Edileuza Suely apresentou um balanço dos dados da delegacia em 2019 e segundo ela, o aumento nesse índice se refere especificamente ao número de registros de estupros acontecidos entre parceiros, ou seja, relações não consentidas pela vítima entre namorados, esposos e companheiros. Tais situações também são consideradas pela lei como estupro e ela ressaltou ainda que a cada dia as mulheres estão mais encorajadas a denunciar.

“Nós temos um número aumentado de registros, exatamente por essa coragem da mulher denunciar os seus próprios parceiros. O estupro doméstico é aquele ato sexual onde a mulher não quer manter aquela relação com o seu marido, com o seu namorado, com o seu ficante, com o seu parceiro, seja ele quem for. No entanto, ele a força mantém essa relação. Essa mulher está vindo para delegacia, está denunciando, nós estamos apurando e esse fato é enquadrado como estupro. É bom que sirva de alerta para os homens, para que tenham essa compreensão, para que eles tenham esse entendimento que esse ato sexual não consentido pela sua parceira é enquadrado como crime de estupro, que é um crime de uma pena considerável”, comentou.

Sobre os estupros que acontecem fora das residências, Edileuza relatou que a polícia está em campo com o objetivo de colocar os acusados na cadeia. Existem algumas autorias definidas e inquéritos já concluídos.

A delegada pontuou também que outro índice que aumentou foi referente a medida protetiva. Em 2018 foram 489 registros e em 2019, o número foi de 607. Na opinião dela, essa realidade também demonstra que a mulher está tendo mais confiança em denunciar os ex-companheiros.

“A mulher está se encorajando porque infelizmente temos visto que a violência tem aumentado não só em números, mas também nos requintes de crueldade e infelizmente a gente tem visto isso e a mulher, diante dessa realidade, ela tem se encorajado, tem vindo a Deam, tem tido uma resposta positiva. Por isso nós vemos o acréscimo no número de medidas protetivas porque ela são deferidas rapidamente pelo judiciário. Isso deixa a mulher em uma situação muito mais confortável e também para a nossa atuação, visto que após o deferimento da medida protetiva, desobedecendo essa medida , esse autor vai ser preso”, ressaltou.

As ocorrências registradas pela Deam em 2019 foram de 3432, Foram remetidos à justiça 1031 inquéritos e de acordo com a delegada, o trabalho é considerado como produtivo, principalmente porque tem essa resposta de que cada vez mais as vítimas estão denunciando.

“Quando a vítima se sente acolhida, ela vê resposta. Nós vemos que os autores também recuam, porque a resposta está sendo dada e eles estão sendo punidos. A vítima tem a sua resposta, tem o processo, que dá para ela esse acolhimento, resposta e segurança. A Deam teve muito trabalho e nós temos uma equipe que é coesa, que está junta, buscando esse objetivo. Nós temos o plantão 24h, diuturnamente atendendo essas vítimas”, disse.

A delegada disse também que a Deam tem contato com o apoio do Departamento de Polícia Técnica (DPT) na emissão dos laudos.

“Os flagrantes são lavrados e quando requer o corpo de delito temos uma equipe também de plantão que prontamente tem nos atendido de maneira muito eficaz, muito eficiente porque a necessidade desse laudo comprobatório, é imprescindível na lavratura do flagrante. Nós temos tido esse grande apoio do DPT, que não tem nos negado, ao contrário, nós sabemos que a demanda é muito grande para que eles possam atender toda a região. Em Feira de Santana, em nenhum momento tivemos dificuldade e os laudos são feitos, são encaminhados para a delegacia imediatamente, Isso dá a possibilidade também ao juiz de ter essa prova em suas mãos rapidamente, de poder dar essa resposta efetiva para a sociedade”, declarou.

Com informações do repórter Aldo Matos do Acorda Cidade.