terça-feira, julho 16, 2024

Dia do Orgulho LGBTQIAPN+: entenda o que significa cada letra da sigla

Nesta sexta-feira (28) é o Dia do Orgulho LGBTQIAPN+ e, apesar de as discussões sobre o tema estarem cada vez mais comuns, ainda há quem não saiba o que cada letra da sigla significa. Especialmente no caso das últimas letras, que foram adicionadas na sigla há menos anos e ainda causam confusão para alguns.
“Lgbtqiapn+ é uma alusão ao grupo composto por lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, transgêneros, travestis, queers, intersexos, assexuais, panssexuais, não-bináries e demais sujeitos que não estão inseridos na heteronormatividade e/ou na cisgeneridade”, explica o ator e maquiador Dicesar, também conhecido como a drag queen Dimmy Kieer.
A importância de entender o significado desses termos, segundo Dicesar, é muito importante. “Ajuda que todos se sintam incluídos no sistema e que não fiquem mais escondidos em guetos e se sintam, de alguma forma, representados”, explica.
Pensando nisso, separamos a seguir uma explicação sobre cada uma das palavras e seus significados, de acordo com o Manual de Comunicação LGBTI+, elaborado pela Aliança Nacional LGBTI+:
L (lésbicas)
São mulheres que se sentem atraídas afetivamente/sexualmente por pessoas do mesmo gênero – ou seja, outras mulheres.
G (gays)
São homens que se sentem atraídos afetivamente/sexualmente por pessoas do mesmo gênero – ou seja, outros homens.
B (bissexuais)
São pessoas que se sentem atraídas tanto pelo gênero masculino quanto pelo feminino. Vale lembrar que isso não tem nada a ver com promiscuidade ou infidelidade, como é muito espalhado por aí, e esse é um pensamento preconceituoso.
T (transgênero, transexuais, travestis)
O “T” é a primeira letra da sigla que não é sobre a orientação sexual (por quem alguém se sente atraído), mas sim à identidade de gênero. São pessoas cujo gênero é diferente do sexo designado no nascimento.
Q (queer)
Segundo o manual, pessoas queer seriam aquelas que transitam entre as noções de gênero, como é o caso das drag queens.
Entretanto, há também o uso dessa palavra como um “termo guarda-chuva” para abranger qualquer indivíduo que não seja hétero (pessoas que se sentem atraídas apenas pelo gênero oposto) ou cisgênero (pessoas que se identificam com o sexo atribuído no nascimento)
I (intersexo)
São pessoas que têm características biológicas (cromossomos, genitais, hormônios etc) tanto femininas quanto masculinas ou que não se encaixam nessas definições.
A (assexual)
Uma pessoa assexual é aquela que não sente atração sexual por pessoas de gênero algum. Lembrando que pode haver diferentes níveis de assexualidade.
P (pansexual)
São pessoas (de qualquer gênero) que se sentem atraídas afetivamente/sexualmente por pessoas independentemente do gênero. Assim, gênero e sexo não são determinantes para essas pessoas se sentirem atraídas por alguém.
N (não-binário)
Pessoas que não se identificam 100% como homem ou mulher. Podem haver diferentes identidades dentro disso, como pessoas que transitam entre os gêneros, as que não se sentem como nenhum deles ou as que se sentem mais como mulher ou como homem, mas não 100%.
+ (mais)
O “mais” no fim aparece porque, além dessas, há várias outras identidades de gênero e orientações sexuais, então elas também estão incluídas na sigla dessa forma.
Fonte: Terra/Foto: Shutterstock / Alto Astral

recentes