Diretora da creche Rita Alves se defende de acusação e diz que professora faltou 52 dias durante o ano letivo de 2018

A diretora da creche Rita Alves, Maria da Conceição, fez uso da tribuna da Câmara de Vereadores na manhã desta terça-feira (11), para se defender de acusação de perseguição dirigida contra ela pela professora Claudiane, na sessão da Câmara no dia 11 deste mês.

Na ocasião, a professora Claudiane relatou que está no momento em uma gravidez de alto risco e precisa se ausentar do trabalho, pois frequentemente estar se deslocando para Feira de Santana, onde passa por exames para acompanhamento da gestação e, em virtude disso, ela se diz perseguida pela diretora da creche, e inclusive contesta uma ata que foi lavrada em seu nome (veja aqui).

Essa acusação motivou a ida da diretora à Câmara de Vereadores. Em sua defesa, Maria da Conceição sustentou que a ata é “extremamente verdadeira“, e que a professora está “causando transtornos, sim […] por conta do número de faltas que vem acontecendo na creche.” Ainda segundo Maria da Conceição, durante o ano letivo de 2018, que teve 186 dias, a professora Claudiane faltou em 52.

Questionada sobre se as faltas da professora foram justificadas, a diretora disse que a professora sempre apresentou atestados médicos, e que os mesmos foram encaminhados à Secretaria de Educação do Município.

Assista o vídeo abaixo:

Com informações, foto e vídeo, Ipirá Notícias