Dois ex-prefeitos podem estar se unindo para derrotar o atual prefeito de Baixa Grande em 2020

Com a aproximação das eleições de 2020, os bastidores políticos de Baixa Grande vão se organizando. Juntos em duas eleições e adversários na última eleições municipal de 2016, os ex-prefeitos Gilvan Rios (PSD) e Pedro Lima (PT), podem está se unindo para derrotar nas urnas o atual prefeito Heraldo Miranda (MDB), que deverá concorrer à reeleição.

A união pode ganhar força eleitoral. No entanto, a dupla pode perder algumas lideranças conservadora do PT que fizeram duras críticas ao ex-prefeito Gilvan por não ter apoiado Pedro na reeleição de 2016, fazendo com que o petista só alcançasse 13,8% de votos.

Nos bastidores cogita-se que a chapa para o executivo será composta pelos dois, sendo encabeçada por Gilvan Rios. Outra sugestão é que Pedro Neto deva lutar por uma vaga na Câmara. Com isso, ele visa ganhar força no palanque do PSD, trazendo votos para a coligação dos candidatos do PT.

O medo

O racha entre os dois ex-prefeitos aconteceu logo nos primeiros meses de 2013, quando por interferência familiar acabaram se separando politicamente, e Gilvan não aceitou fazer parte do governo Pedro, aceitado o convite do amigo Ademildo Almeida, assumiu a função de chefe de gabinete da prefeitura de Ipirá. Parte dos petistas conservadores acredita que caso Gilvan vença, a primeira coisa que irá fazer é se vingar do que aconteceu em 2013.

Bacia do Jacuípe