terça-feira, abril 23, 2024

Eleições na Argentina movimenta polarização política no Brasil

Políticos da base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da oposição foram as redes sociais neste domingo (22) para comentar sobre as eleições presidenciais na Argentina.

Aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), como o senador Ciro Nogueira (PP-PI) e o senador Sergio Moro (UB) , demonstraram apoio a Javier Milei, candidato de extrema-direita. Ele defende a saída da Argentina do Mercosul e já anunciou que eleito vai romper as relações com o Brasil por considerar Lula “comunista furioso”.

“Eu Milei, tu Milastes, ele Kirchinou, nós Milamos, Vós Milastes, eles Kirchinaram. Argentina Libre!”, postou Ciro na rede social “X”, antigo Twitter, declarando apoio a Milei e criticando o kirchnerismo, grupo do ex-presidente Néstor Kirchner e da atual vice Cristina Kirchner, que apoiam Sergio Massa.

Já o senador Sergio Moro afirmou que Milei e Patricia Bullrich (candidata do grupo do ex-presidente Mauricio Macri) “representam a oportunidade para o adiós ao kirchnerismo”.

Milei já recebeu apoio do próprio Bolsonaro. Além disso, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do ex-presidente, foi à Argentina para acompanhar a disputa pela presidência no país vizinho.

Já na base do presidente Lula, deputados como Rogério Correa (PT-MG), Fernanda Melchionna (PSOL-RS) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) compartilharam um vídeo que compara Milei a Bolsonaro, mas sem declararem apoio a nenhum candidato. “Se eleito, será uma tragédia para o país tão grande quanto foi o inelegível no Brasil”, disse Jandira.

Outro nome da política brasileira que comentou o caso foi o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (PSDB-RJ). Ele se manifestou a favor de Massa, que, segundo ele, “foi excelente Presidente da Câmara dos Deputados, e tem atuado de forma muito importante à frente do Ministério da Economia, apesar de todas as dificuldades enfrentadas pela Argentina”.

BNews – Imagem Divulgação/ Renato Pizzutto/Band

recentes