Um relatório publicado nesta segunda-feira (6) revela que o Estado Islâmico, além de outras facções terroristas, tem recrutado crianças e adolescentes em campos de refugiados em zonas de conflito.

De acordo com a Fundação Quilliam, responsável pelo estudo, militantes radicais financiam o equivalente a R$ 6.240 para garantir os possíveis recrutas. Em troca, os refugiados ganham a passagem pelo Mediterrâneo rumo à Europa.

Especialistas explicam que as organizações terroristas têm maior interesse por jovens porque eles são mais propícios ao doutrinamento.

No ano passado, o governo jordaniano disse ter descoberto uma célula do EI entre tendas de refugiados no país, informa a Folha de S.Paulo.

Estima-se que 88 mil refugiados menores de 17 anos tenham chegado desacompanhados à Europa em 2015. Centenas desapareceram do radar nos últimos anos.

Noticias ao Minuto