Um novo protesto contra Donald Trump acontece na tarde deste sábado (12) em Nova York. Os manifestantes caminharam pela famosa 5ª Avenida. A polícia divulgou um alerta para que motoristas evitem a área. O documentarista Michael Moore aparecia em fotos nas redes sociais em meio ao protesto. Pelo menos em Chicago e Los Angeles também há manifestações.

Em Los Angeles, mais de 8.000 pessoas tomaram as ruas m uma passeata organizada por organizações imigrantes locais para expressar sua rejeição à eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Em Nova York, o cineasta Michael Moore entrou no edifício Trump Tower de Manhattan para tentar falar com o presidente eleito, Donald Trump, mas agentes do serviço secreto lhe impediram de subir até os escritórios do magnata nova-iorquino.

“Senhor Trump, estou aqui, quero falar com o senhor”, escreveu o polêmico diretor em uma breve nota que conseguiu entregar ao porteiro do edifício, durante um protesto do qual participaram centenas de pessoas em frente ao arranha-céu do empresário.

A noite de sexta já havia sido agitada nos EUA, quando milhares de manifestantes levaram às ruas suas frustrações com Trump como novo presidente.

Pela terceira noite consecutiva, os protestos ocorreram em diversas cidades, incluindo Portland, no Oregon, onde uma pessoa foi baleada. Um homem não identificado foi ferido numa ponte no início da madrugada quando ele e outras dezenas de manifestantes cruzavam a estrutura.

Também fora do território americano houve protesto neste sábado: centenas de pessoas se reuniram em frente à embaixada americana em Berlim para protestar contra Trump, e seu propósito de erguer um muro na fronteira com o México, à imagem do que dividiu a capital alemã durante a Guerra Fria.

Do G1, em São Paulo – Foto: Lucy Nicholson/Reuters