Ex-prefeitos conseguem cargos na Assembleia e no Governo da Bahia

Depois do insucesso nas urnas em 2016, os prefeitos derrotados estão sendo abrigados em cargos públicos na Assembleia Legislativa e no Governo da Bahia.

Os primeiros beneficiados foram: Adelson Carneiro Maia, ex-prefeito de Ponto Novo, que perdeu a disputa para Tiago Venâncio (PMDB), eleito com 51,64% dos votos válidos.

Carlos Luiz Brandão Leite se candidatou na eleição passada na tentativa de retornar ao cargo de prefeito da cidade de Curaçá, mas Carlinhos foi derrotado por Pedro Oliveira (PSC), que foi eleito com 43,09%.

Depois foi a vez dos ex-prefeitos de Quixabeira e Baixa Grande. Eliezer Costa de Oliveira (PT) servirá à deputada Neusa Cadore (PT). O petista foi investigado em 2012 por suposto superfaturamento de obras e irregularidades em contratos, enquanto era prefeito de Quixabeira. Na função de secretário parlamentar, ele receberá R$2.800,00.

Outro petista que conseguiu um cargo na AL-BA foi Pedro Lima Neto (PT), candidato derrotado em Baixa Grande. Neto atuará como secretário parlamentar na Subcomissão de Autonomia Econômica da Mulher. Assim como Eliezer, deve receber R$2.800,00.

Derrotado em João Dourado, Abimael Dourado Lima Júnior (PSD) será secretário parlamentar na Casa. Pelo cargo, Juninho – como o político é conhecido na cidade – receberá R$ 3.800.

Oberdam Rocha Dias (PP) ex-prefeito de Barra do Choça e já foi nomeado para o posto de coordenador de Integração de Políticas e Projetos, da Secretaria de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, no governo Rui Costa.
O ex-prefeito integrará o quadro funcional de uma secretaria comandada pelo PP, liderada pelo secretário Cássio Peixoto e terá vencimento inicial de R$ 3.721,91.

No município de Ipirá, circulam boatos dando contas de que o ex-prefeito Aníbal Ramos Aragão, derrotado nas eleições de 2016, receberá um cargo estadual na 21ª Ciretran daquela cidade.

Caboronga Notícias com imagem ilustrativa