As famílias dos 19 jogadores da Chapecoense mortos na queda do avião da delegação que seguia para Medellín-COL receberão duas indenizações 26 meses maiores que o salário de cada um deles.

Como os corpos dos atletas começam a chegar da Colômbia somente nesta sexta-feira (2), o pedido de recebimento de seguro ainda está em fase inicial. O clube está fazendo um levantamento da documentação necessária.

Os valores são referentes às apólices de seguro de vida dos atletas feitas pelo clube catarinense, além do seguro feito pela CBF que estipula teto máximo de R$ 1,2 milhão. A média salarial dos jogadores era entre R$ 20 e R$ 100 mil.

A Chapecoense também oferece apoio psicológico às famílias. Neste caso, aberto aos familiares dos 71 mortos na madrugada da última terça-feira (29). A equipe disputaria em solo colombiano o primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

Redação VN
redacao@varelanoticias.com.br