domingo, maio 19, 2024

“Foi missão dada por Bolsonaro”, destaca Capitão Alden sobre sua pré-candidatura a prefeitura de Feira de Santana

O deputado federal e pré-candidato a prefeito de Feira de Santana, Capitão Alden, participou de uma reunião na sede local do Partido Liberal (PL), na tarde desta sexta-feira (16). O encontro teve como objetivo discutir os projetos partidários voltados para o fortalecimento do grupo e estratégias para a disputa das eleições.

Em entrevista ao Acorda Cidade, ele informou que sua pré-candidatura é uma missão dada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, e revelou o objetivo do partido de eleger seus candidatos nas principais cidades do país, visando fortalecer a legenda para as próximas eleições majoritárias

“Essa foi uma missão que nos foi dada pelo ex-presidente Bolsonaro, juntamente com o presidente Waldemar. Em conversa com todos eles e João Roma, nós entendemos que é importante que em todo o Brasil o PL lance candidatos próprios do partido nas principais cidades do país. Então, o Bolsonaro nos deu a seguinte missão, lançar pré-candidaturas a prefeito em pelo menos 1.500 municípios em todo o Brasil.  Com isso, nós iremos ter um projeto ambicioso de eleger em 2026 mais deputados federais, mais deputados estaduais e também senadores da República. Então, o presidente tem o desejo de, com essas eleições majoritárias, em especial as eleições para candidaturas à vereança, nós possamos montar uma base no Brasil, sendo capaz de, em cada estado, eleger uma base que possa sustentar a maior quantidade de deputados federais eleitos, no maior partido do Brasil, que é o PL.”

Por que Feira de Santana?

Ao justificar sua pré-candidatura em Feira de Santana, Alden também enfatizou a relevância da cidade, destacando-a como uma das mais importantes do Nordeste brasileiro em termos de PIB do interior da região.

“Feira de Santana hoje é a cidade mais importante do Nordeste, do interior do Nordeste brasileiro. É uma das dez cidades que têm mais de 10 bilhões de PIB, aqui especificamente 17 bilhões de PIB. Então, é importante que a gente tenha uma representação do PL aqui no município, uma das cidades mais importantes do interior do Estado, na Bahia e também no Nordeste. Então, a gente tem, sim, que apresentar propostas. Nós temos hoje quatro qualificados do PL para apresentar propostas viáveis para as cidades que eventualmente forem competir na eventual chapa”, destacou Alden em entrevista ao Acorda Cidade.

Não morar na cidade não o impede de se eleger

Questionado sobre as críticas relacionadas ao fato de não residir em Feira de Santana, Alden citou exemplos de outros políticos que obtiveram sucesso eleitoral em locais onde não residiam, como o atual governador de São Paulo, Tarcísio Freitas, e também o ex-governador Jaques Wagner, hoje senador, que é do Rio de Janeiro e se elegeu governador da Bahia por duas vezes.

Alden ressaltou sua experiência política e sua classificação como o 50º deputado federal mais bem avaliado do Brasil, além de ser o número 1 na Bahia nesse quesito.

“O que pesa a meu respeito, apesar de eu não viver efetivamente em Feira de Santana? Primeiro, eu tenho a mesma ideologia, o mesmo princípio de governança do ex-presidente Bolsonaro. E a minha história recente como político, deputado estadual, 4 anos, e agora como deputado federal eleito, o que eu tenho no meu currículo? Hoje, dos 513 deputados federais no Brasil, eu sou o número 50, a 50ª posição de parlamentar mais bem avaliado do Brasil. Do Nordeste, eu estou em segundo na posição, no ranking do Nordeste, de deputado mais bem avaliado. Na Bahia, dos 39 deputados federais, hoje eu estou no Top 1, o número 1 de deputados federais da Bahia, mais bem avaliados pela minha atuação, pelas minhas propostas, pela minha coerência com o meu mandato”, pontuou.

Operações da PF contra Bolsonaro

Sobre as críticas que Bolsonaro vem sofrendo enquanto alvo de operações da Polícia Federal, Alden defendeu o ex-presidente.

“Quanto mais batem em Bolsonaro, mais ele cresce.  Isso não é à toa. Aqui em Feira de Santana, ele teve mais de 130 mil votos, um município com quase 700 mil habitantes. É uma votação expressiva. E toda essa tentativa de se criar narrativas de que ele foi o mentor de um possível golpe, de que ele tentou articular a derrubada da democracia, é uma mentira. Todas as provas, entre aspas, colacionadas, juntadas pela PF, até o momento, demonstram apenas o contrário. Que ele foi um homem, foi um presidente, que respeitou a Constituição Federal em todos os momentos. Dizem que ele é tirano, que ele é golpista, mas demonstre de forma prática e contundente uma única ação em que ele se declarou autoritário, em que ele não respeitou a Constituição, não respeitou a liberdade de opinião da imprensa. Inclusive, ele foi o homem mais atacado pela imprensa e nunca disse: ‘vamos regular, vamos limitar a fala das pessoas’. Pelo contrário”, declarou.

Policial militar há 22 anos, Alden também criticou a Segurança Pública do Estado e disse que a redução do índice de violência é muito pequena diante do crescimento da criminalidade nos últimos anos.

Com informações do repórter Ed Santos do Acorda Cidade

recentes