segunda-feira, julho 22, 2024

Inverno promete ser mais chuvoso na região Sul e seco na Sudeste

(FOLHAPRESS) – O inverno, que no começa às 17h51 desta quinta-feira (20), deverá ser mais chuvoso que o tradicional no Sul do país e mais seco no Sudeste. A estação vai até 22 de setembro.

A previsão consta em uma nota técnica conjunta do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) e do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), publicada nesta terça-feira (18).

Em meados de julho deve-se formar o fenômeno La Niña, que esfria as águas do Pacífico Equatorial e, segundo Adilson Nazário, técnico em meteorologia do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), da Prefeitura de São Paulo, a tendência é de um inverno mais seco que o normal, com eventos de dias frios e baixa umidade relativa do ar.

Conforme a nota técnica dos dois órgãos federais, o prognóstico para os meses de inverno na região Sul indica condições favoráveis para chuva acima da média na parte central e no leste do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no sudeste do Paraná.

Nas demais áreas da região, a previsão aponta para condições de chuva próxima e abaixo da média, principalmente no norte do Paraná.

No Sul, as temperaturas deverão ficar acima da média na maior parte da estação, principalmente no Paraná.

“Ressalta-se que, a incursão de massas de ar de origem polar poderão provocar declínio nas temperaturas em alguns dias, possibilitando a ocorrência de geadas em algumas localidades, especialmente naquelas de maior altitude”, diz a nota técnica.

Para o Sudeste, a previsão é para o predomínio de chuva abaixo da média. Porém, o documento não descarta a ocorrência de instabilidades maiores, mas pontuais, no litoral sul de São Paulo, por causa da passagem de frentes frias.

As temperaturas tendem a permanecer acima da média em grande parte da região, porém, podem ocorrer quedas na temperatura em alguns períodos devido à entrada de massas de ar frio, também com chance de geada.

No Centro-Oeste deve chover menos que o padrão, com tendência de diminuição da umidade relativa do ar nos próximos meses, com valores diários que podem ficar abaixo de 30% e picos mínimos abaixo de 20%.

No Norte do país, igualmente espera-se menos chuva que o normal. Apenas no extremo norte de Roraima, Amapá e no noroeste do Amazonas a previsão indica condições favoráveis para chover acima do que tradicionalmente ocorre no inverno.

No Nordeste, a previsão indica predominância de chuva próxima à média no interior da região. No restante, deve chover menos.

“A ocorrência de chuva intensa não está descartada para o litoral da região Nordeste em função do persistente aquecimento anômalo das águas do oceano Atlântico tropical”, diz a nota técnica.

Segundo o Inmet, a redução das chuvas em grande parte do país nesta época do ano ocorre por causa da persistência de massas de ar seco, que ocasionam a diminuição da umidade relativa do ar e, consequentemente, favorecem o aumento de queimadas e incêndios florestais, bem como de doenças respiratórias.

Além de uma menor incidência de radiação solar, a estação é caracteriza pela presença de massas de ar frio, oriundas do sul do continente, que provocam queda na temperatura do ar, resultando em valores médios inferiores a 22ºC sobre a parte leste das regiões Sul e Sudeste.

recentes