Reviravolta na politicagem de Ipirá. O prefeito Dudy assumiu a responsabilidade de todas as denúncias contra a administração do ex-prefeito Marcelo Brandão, que lhe antecedeu. Isso aconteceu com a ida do prefeito Dudy ao programa ‘Brasil Urgente’ da Rede Bandeirantes. Acontecimento jamais registrado anteriormente. Tudo se arrumava, bastava um freio.

O prefeito Dudy foi agudo, direto, sem rodeios nas suas denúncias, quebrando o pacto sigiloso entre TODOS os prefeitos do sistema jacu e macaco, que prevalece em Ipirá há décadas. A regra que predominou até agora, nesta terra, foi a do “jogo de compadres” também conhecido por “uma mão lava a outra.”

Sempre foi assim: a administração que entra não mexe na sujeira da administração que sai. O que se diz fica numa espessa nuvem da fuxicaria e morre por aí. Não pode passar de fuxico. O prefeito Dudy quebrou esse dever nada ético, que impede a revelação de assuntos ligados à administração pública em Ipirá. Foi para a televisão e botou a boca no trombone e não pediu segredo.  Não tem retorno.

Fez um rosário de denúncias. Uma das mais contundentes foi a do empréstimo consignado, quando a prefeitura recolhe o pagamento mensal no salário do servidor e não faz o repasse ao banco. O servidor municipal é transformado em caloteiro, mas na verdade a parcela do pagamento do empréstimo é surrupiada pela prefeitura. O servidor municipal não paga o que deve, pois bem, continua devendo e é roubado na parcela que sai da sua conta para o pagamento da dívida. Foi assim que eu entendi.

O ex-prefeito Marcelo Brandão não esperava que esse pacto informal fosse quebrado e que isso chegasse a esse ponto. Não ficou calado e disse que: “o prefeito Dude mente e passou dos limites em um programa de televisão.” Esse “passou dos limites” significa que quebrou o pacto quase secular de jacu e macaco. Não tem retorno e é um barril de nitroglicerina pronto para explodir.

O ex-prefeito MB disse mais: “o prefeito Dude falou de inadimplência nos consignados dos funcionários públicos, mas esqueceu de falar que o valor pendente de pagamento é da gestão do grupo dele e por não ter sido contabilizado à época encontra-se judicializado.” Êta zorra! Que zoeira da desgraça é essa? No dizer do ex-prefeito MB foi a macacada que patrocinou a ladroagem.

Disse mais o ex-prefeito MB, que: “o pagamento dos consignados cumpriu esse roteiro nos nossos quatro anos, com acompanhamento importante dos interessados. É, portanto, obrigação do município continuar pagando mês a mês.”

Vejam só! o SERVIDOR interessado sabia de tudo, acompanhava tudo, legitimava tudo. Assim sendo, o servidor municipal que contraia o empréstimo era um verdadeiro otário. Otário ou não, o funcionário público era roubado no âmago da administração pública, seja administrador jacu ou macaco e no dizer do ex-prefeito MB tem que continuar pagando todo mês. Que esculhambação é essa?

Na avaliação do ex-prefeito MB, “o prefeito atual está sem norte, não quer administrar e que suas denúncias são vazias, mentirosas e tornaram-se um escudo falso para se proteger dos compromissos assumidos.” Esse lengalenga de jacu ou macaco é a maior farsa que existe nessa terra. O que existe na verdade, são denúncias graves que devem ser apuradas doa a quem doer. Quem for devedor que pague pelo que fez.

O ex-prefeito MB fez uma Live. Deixou a impressão de um defunto querendo sair da cova. Quis passar um recado ao prefeito atual: “Não há necessidade disso. É preciso administrar; é hora de fazer, de começar a fazer. Não se governa olhando para o retrovisor. Vamos trabalhar por Ipirá. O gestor tem que mostrar que tem condições de fazer. Confiamos que o atual prefeito vai fazer por Ipirá. Vamos fazer uma oposição responsável”

O ex-prefeito MB deixou transparecer que não leva desaforo para casa: “não vamos admitir que problemas sejam atribuídos à nossa administração, para denegrir a imagem do meu governo. Não vamos permitir que a mídia venenosa faça esse estardalhaço que está fazendo. Tudo que for atribuído a nossa gestão, a comunidade vai ficar sabendo que não são verdadeiras.”

O ex-prefeito MB se acha o bom da boca: “o nosso governo conseguiu fazer muito e a comunidade viu. O município foi estruturado. Reformamos todos os prédios da educação. Colocamos contabilidade nas escolas. Temos a melhor saúde que Ipirá já viu em todos os tempos. Compramos três aparelhos de Raio X, até digital e um aparelho de Ultra-som. Recebemos elogios dos próprios médicos.”

O ex-prefeito MB disse que herdou uma herança maldita, mas livrou a cara do prefeito interino Jota Oliveira. MB disse: ”recebi um hospital que era um chiqueiro de porco, um verdadeiro pardieiro. A comunidade é testemunha. Recebi quatro ambulâncias amarradas de arame. Problemas eu encontrei em condições escandalosas. Peguei um município desestruturado, destroçado e abandonado. Esbravejamos, mas fizemos. É assim que tem que ser feito.”

O ex-prefeito MB quer ser o solucionador dos partos complicados: “o INSS é um problema crônico e histórico. Eu encontrei uma dívida exorbitante de 23 milhões de reais, vou deixar essa dívida em 35 milhões de reais, mas fiz o parcelamento, assim é que tem que ser.”

O ex-prefeito MB sentou na jaca: “deixei 20% da folha da Educação sem pagar. Isso a gente não vai discutir. Houve uma queda de 850 mil reais na antecipação do ICMS em dezembro de 2020. A Lei é clara, o município não para com a troca de administradores e tem até o dia 5 para fazer o pagamento.”Ôh esperteza do cão! Se não saiu o pagamento no dia 5 deste, a culpa é do prefeito Dudy?

O prefeito Dudy achou por bem romper com o silêncio acordado implicitamente por jacu e macaco e resolveu colocar todo esse desmando ao conhecimento público. É assim que se faz e é assim que tem que ser.

Os médicos da UPA ameaçaram suspender os plantões, devido à falta de pagamento no mês de dezembro 2020. O prefeito Dudy fez um grande esforço para realizar o pagamento. Os plantões foram normalizados. Não haverá nenhuma retaliação contra qualquer médico. Agiu certo o prefeito. Embora haja dentro da macacada pessoas que querem uma nova cooperativa, controlada por macacos, para fazer a prestação de serviços de contratos, desde já, com o argumento de que esta ameaça não aconteceria. É muita esperteza! Criaram esse modelo de cooperativa para contratar médicos, que é uma forma de burlar a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Foi uma festa. O prefeito Dudy parecia o mais novo fogueteiro da província, tascou fogo para ver o tamanho do estrondo.  O apresentador do programa pegou uma borracha de 1m, feita com pneu de trator e dava lapada no lombo do ex-prefeito MB (sentido figurado é claro). Só resta apresentar um dossiê do ex-prefeito MB à comunidade e acionar a Justiça e tudo ficará a critério desta.

Enquanto o barulho acontece na politicagem, é bom não esquecer que os profissionais da educação ainda não receberam o salário de dezembro e da mesma forma que os médicos, eles precisam de alimentação, de beber água, de pagar suas contas e de sustentar suas famílias.

Por Agildo Barreto

COMPARTILHE
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •