IPIRÁ em LUTO permanente

53

Difícil. Extremamente difícil. Não há palavras capazes de explicar, nem mesmo, exprimir em gestos. O momento é para a palavra apropriada e adequada. A palavra tem que ser exata e irrepreensível. Sem extrapolar e, muito menos, fazer-se escassa:“Descanse em paz, Aníbal Ramos! E que a família tenha o conforto divino. Expresso os meus sinceros e profundos sentimentos” Com essas palavras, encerro meu parecer.

 

A conjuntura política de Ipirá sofre, neste ocorrido inesperado, uma mudança brusca, súbita e imprevista; jamais 2020 será o que seria. A análise tem um ponto de vista político, exclusivamente político.

Faltando, praticamente, um ano para as eleições 2020, o grupo da jacuzada, sem muita novidade, vai manter uma candidatura da Sagrada Família, disso ninguém tem dúvida. Tá no vício do cachimbo. Ainda mais, quando possuem o controle do cofre público.

A candidatura do atual prefeito Marcelo Brandão para 2020 é considerada prego batido e ponta virada, devido ao fato do grupo não ter alternativa e ser um caixão sem alça. Cheio de desgaste e descrédito junto à população, fica naquela vã esperança de fazer em um ano o que sua administração não fez por Ipirá até agora. Muita conversa e pouca obra para enfrentar uma macacada ávida e eufórica para retornar ao Poder Municipal.

Na macacada, o caminho da unidade tornou-se mais sereno e menos controverso. A candidatura de Nina, esposa do deputado Jurandy Oliveira, não tem cacife para se impor dentro do grupo, essa é a verdade. Tem o respaldo e a vontade do deputado, mas falta um lastro de obras que a coloque num patamar de hegemonia dentro do grupo.

Esse governo do Estado, Rui Costa, não tem uma obra significativa em Ipirá. Ele deu prosseguimento à obra do saneamento, que se arrasta há mais de 12 anos e ninguém sabe quando isso vai terminar.

A candidatura de Nina tem mais perfume de vice do que cabeça de chapa, pois a Dona do Pedaço ainda é a Globo e o sinal de TV Digital não é nenhuma novidade em Ipirá. O deputado tem que trazer algo significativo para o município, pois abobrinha e conversa mole não enrola ninguém e o deputado não vai brigar para impor. Vai ficar nesse jogo de meio de campo, sem atacar nem se defender. Se acontecer a vice está de bom tamanho.

A candidatura de Dudy agora vai. Será? Ainda tem quem duvide que ela chegue a um terço do caminho. Dudy é mais empresário do que político. E assim é visto pelo próprio grupo. Vai ter que carregar a mala, o cofre e carteira com cheques assinados. Eles viciaram o eleitorado.

Essa cúpula da macacada não dá prego sem estopa. E logo agora que tudo faz crer que o poder está logo ali, na esquina, e que essa coisa vai se desenrolar como novelo de linha para Dudy, tem gente que faz questão de que a linha vire arame farpado. ‘Só tem tu, vai tu mesmo Dudy ‘.

Na apresentação digital ficou claro: ”Acabou de chegar o grande empresário Dudy (com atraso), chegou agora porque estava cuidando de suas empresas!” Ficou claro que a bola é dividida. Dudy é o empresário que quer ser político, num ambiente de político que faz questão que ele continue empresário.

Não pense em Antônio Colonnezi! É uma liderança acomodada, mais de nome do que de presença. Não vai colocar a cabeça na forca. Tem mais é que viver ‘de boa’. Tem o apito do jogo. É quem vai decidir, mas joga toda a responsabilidade para o VAR.

E quem é esse VAR? Eu não digo nem com um ‘trezoitão no pé do ouvido’ e, também, porque não sei mesmo, agora, uma coisa é certa, quem pensa com maestria dentro desse grupo é o ex-prefeito Dió.

Não adianta eu dizer aqui, que o ex-prefeito Dió é o maior líder do grupo dos macacos que ninguém acredita. Não adianta eu dizer que o ex-prefeito Dió ia ser o nome da unidade e concórdia do grupo em 2020, porque não adianta mesmo. Não adianta eu falar do Renova, porque deixou de existir. Não adianta eu dizer que o PT de Ipirá vai para a cabeça da pule, porque eu só lembro do panelão de canjica, o famoso tacho, com a meninada em volta, de colher na mão, esperando a ordem para rapar o tacho. Quem dava a ordem? Eu não me lembro.

O movimento atingiu Ipirá e os grupos jacu e macaco continuam planejando agenda eleitoral para o futuro, quando o presente está na esquina, bem ali na esquina. ou Para você compreender isso tudo, basta adquirir o livro que detalha esse negócio aí, para tal, acesse o site: https://www.amazon.com.br adquira o eBook ‘A PRAÇA DA BANDEIRA E OUTRAS BANDEIRAS’. Obrigado e boa leitura.

Por Agildo Barreto