Estudantes universitários reclamam das más condições dos ônibus do transporte público universitário, de Ipirá (BA). Os veículos estão em situações precárias, apresentando goteiras, cintos de segurança inutilizados e sujos, e diversos bancos quebrados.

Quatro ônibus do programa ‘Caminho da Escola’, que fazem o transporte de cerca de 170 estudantes universitários, que estudam em faculdades de Feira de Santana, no período da noite, estão com mais de 20 bancos totalmente inutilizados. Como os veículos estão trafegando com lotação máxima, diversos estudantes estão sendo obrigados a se sentarem em bancos totalmente sem estofados, em uma viagem que de ida e volta são mais de quatro horas de duração.

Desde o início da nova administração municipal, os Dirigentes Estudantis que representam os estudantes universitários tem feito diversas cobranças ao setor de transporte da prefeitura, sendo que em reunião realizada com o prefeito em 21/02/17 os estudantes levaram ao conhecimento do próprio prefeito Marcelo Brandão, todos os problemas do transporte, sendo diversas vezes frisado a necessidade de conserto dos bancos, que segundo estimativa, não passa de simples trabalho de estofamento, que talvez não supere ao valor de cinco mil reais.

Também a maioria dos cintos de segurança estão inutilizados, sendo que alguns cintos as vezes são usados para amarrar as ferragens de alguns bancos que além de já não terem o estafado estão desmoronando, se partindo em suas partes soldadas. Além dos bancos quebrados, ontem (31/03), quando houve uma chuva fina entre Ipirá e Feira de Santan, os estudantes se depararam com goteiras no interior do veículo.

Um estudante, que também já foi motorista profissional, disse que na forma como os ônibus se encontram, os veículos estão representando um grande perigo para os estudantes. Segundo ele, Deus livre que nunca aconteça um acidente com os ônibus universitários citados, pois, se acontecer será uma tragédia, pois já que os cintos de segurança estão em grande parte sujos e inutilizados, com os assentos quebrados e sem cintos, se acontecer uma freada brusca será um ‘Deus nos acuda’.

Além do mais, na situação precária em que se encontra os ônibus, é já que os veículos trafegam em rodovias estadual/federal, qualquer hora os ônibus poderão serem parados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), e os veículos poderão sofrerem pesadas multas, ou mesmo poderão ficarem retidos.

Uma estudante, que não quis ser identificada, disse: “É muita insensibilidade, todos sabem do problema sério que está acontecendo todos os dias, um problema que demanda poucos recursos para ser resolvido, colocando em risco a vida de 170 estudantes e também motoristas. O prefeito sabe da situação, a infraestrutura já recebeu ofício, os vereadores, tanto da situação como também da oposição também sabem do perigo que estamos correndo. O que eles estão esperando? Isto não é prioridade? Estão esperando que aconteça uma tragédia, para só assim, depois, tomarem uma solução?”, disse a estudante , finalizando: “A resolução de um problema como este, que está pondo em risco a vida de 170 universitários, custa menos do que o valor de 2 minutos de um show de Bell Marques”, suspirou a estudante.

Por Orlando Santiago Mascarenhas
www.ipiranegocios.com.be