quarta-feira, maio 29, 2024

Ipirá realiza Caminhada Ecológica a Serra da Caboronga no dia 1º de maio

Uma Caminhada Ecológica, organizada pela Associação Roberto Cintra, aconteceu nesta segunda-feira (01/05), dia 1 de maio, em Ipirá (BA).

O objetivo é despertar a consciência ecológica da comunidade ipiraense e dos moradores locais, além de estimular os participantes e frequentadores do evento a discutirem e avaliarem a situação ambiental da região, considerada lugar importante do município, no que se refere a preservação ambiental e equilíbrio ecológico.

O dia do evento (1 de maio) estava perfeito para uma caminhada. O clima era de muita descontração, o sol não parou de brilhar irradiando ainda mais ânimo e contemplação, potencializada, pela beleza encontrada nas belas paisagens naturais da região.

Encontro na praça Roberto Cintra

Logo, as 6 horas a ambientalista Meire Oliveira, juntamente com os presentes a caminhada, plantou uma árvore, na Praça Roberto Cintra, local da concentração do pessoal do evento ecológico.

Faltou público para o início da caminhada. Infelizmente, talvez por falta de divulgação mais acentuada faltou participantes no ponto de encontro, conforme programado e divulgado, para acontecer na Praça Roberto Cintra em frente à Igreja Matriz, a partir das 06 horas.

Acompanhados por um veículo de apoio da Prefeitura, às sete horas cerca de 15 pessoas saíram do local da concentração, com destino a Mata da Caboronga, distante cerca de 7 km do cento da cidade.

Um dos participantes disse: “As pessoas não querem mais andar, muitos vão de motos, bicicletas e carros próprios”.

Um outro participante disse: ”O próximo ano é de eleição e certamente nossos políticos estarão mais atentos a questão ecológica, assim havendo com certeza a participação deles na caminhada de 2024”

De acordo com o informado, o roteiro principal era as pessoas dirigirem-se a sede da Associação Roberto Cintra, na Serra da Caboronga, onde estava programado para acontecer a principal concentração juntamente com as pessoas participantes da caminhada, mais outras pessoas que para lá se dirigiram em veículos, encontrando-se com demais pessoas moradores da localidade.

Saída rumo a Serra da Caboronga

Na caminhada, os caminhantes ficaram atentos, cada um fazendo interferências sobre suas observações: o som de algum pássaro, o nome de alguma árvore desconhecida, a história do lugar e de seus habitantes, o encontro inesperado com algum animal etc.

Ao longo da estrada caminhada foi recolhido sacos e garrafas plásticas, papelão, latas de alumínio, guimbas de cigarro, sacolas, vidros etc. Em algumas partes do percurso foi percebida as consequências das queimadas que aconteceram no local em épocas passadas.

No passeio havia crianças, jovens, adultos, idosos, ciclistas, estudantes, moradores das redondezas, enfim, um público bastante diversificado.

Ivo Santos Ribeiro, Presidente da Associação Roberto Cintra, vê essa mobilização como um despertar da consciência em relação ao meio ambiente. Segundo ele, “Nós só protegemos o que conhecemos”.

O encontro na Serra da Caboronga

Na chegada ao local da concentração geral, houve acolhida, celebração de missa solene. No local, fazendo uso da palavra, Meire salientou que a ocasião era própria para lembrar as pessoas que foram importantes para a comunidade da Caboronga na luta pela preservação ambiental, destacando os nomes dos Professores Arnaldo Barreto, Eládio Gomes e também Maristela Lima, Rubem do Vale e tantos outros que deram continuidade a luta. Ainda, segundo Meire, “para salvar o mundo precisamos preservar os patrimônios naturais que estão ao nosso lado”.

Outras pessoas, em seus pronunciamentos, disseram que é dever do poder público e da comunidade garantir que o meio ambiente seja melhor para os cidadãos de hoje e para as gerações futuras, por meio da mudança de comportamento, difundindo o respeito com a natureza. Ainda, argumentando que: “preservar e respeitar o meio ambiente é um dever de todos”.

Em resumo, os participantes salientaram que a Caminhada Ecológica vai contribuir para a consciência da necessidade de conservação da mata da Caboronga e espera que nos próximos anos haja uma maior participação de empresários, professores, políticos e estudantes.

Na sede da Associação Roberto Cintra, além da missa e dos pronunciamentos, ainda houve apresentação de Samba de Roda e barracas com comidas típicas da região.

Para Meire, apesar da pouca quantidade de pessoas, o objetivo da caminhada foi alcançado: “Agradecemos o empenho de Ivo e Lucivone por toda a dedicação e organização. Na caminhada tivemos poucas pessoas, porém, a finalidade dela foi alcançada. Foi realmente uma Caminhada Ecológica com direito a batismo na ‘bacia’ (um riachinho onde as mulheres ainda lavam roupa), catamos bastante lixo, teve até um encontro inesperado com um boi enorme”, disse Meire.

Reserva Ecológica Caboronga Rachel Carson

Próximo a sede da Associação Roberto Cintra, o local mais visitado e que mais despertou a atenção dos participantes do encontro ecológico foi a chamada “Casa na Arvore”, que se encontra na Reserva Ecológica Caboronga Rachel Carson.

Nesta Reserva Ecológica, além da interessante “Casa na Arvore”, também se encontra a antiga e histórica Fonte Natural, que em décadas passadas (50 a 70), abastecia os moradores da sede de Ipirá com a famosa e inesquecível “Água da Caboronga”, considerada por muitos que a conheceram como a água de melhor sabor já conhecida em todo o país.

Vale lembrar, que até hoje é corrente o ditado popular, que diz: “Quem bebia da água da Fonte da Caboronga, jamais esquecia Ipirá e antes de morrer ainda voltaria a cidade nordestina, que por causa da água da Fonte da Caboronga, se tornaria inesquecível para o usuário”

Encontro da Fonte Natural da ‘Água da Caboronga’

A reportagem fez questão encontrar o local da antiga Fonte da Caboronga, e infelizmente, ao encontrar, constatou que atualmente não cai nem mesmo uma ‘gota para remédio” da antiga fonte, hoje tomada pelo mato rasteiro, no local.

Veja abaixo a histórica Fonte da Caboronga, quando visitada pela reportagem em 01/05/2008, período em que a fonte já começava a mostrar a escassez do fluir natural da água, e atualmente, agora, em 01/05/2023, totalmente seca, sem uma gota de água.

O evento teve o apoio da Prefeitura de Ipirá, que disponibilizou um veículo, para a acompanhar a caminhada ecológica.

Por Orlando Santiago Mascarenhas
ipiranegocios.com.br

recentes