A Defesa Civil da Itália divulgou uma atualização do número de mortos no terremoto que atingiu o país na madrugada desta quarta-feira (24). Segundo informações da agência de notícias Ansa, já foram confirmadas 159 mortes. Desse total, 86 foram registradas em Accumoli e Amatrice e as outras 34 ocorreram em Arquata.

O tremor teve seu epicentro a 2 quilômetros de Accumoli, que fica a apenas 60 km da cidade de Áquila, capital da província homônima. Até mesmo em Roma, capital italiana, foi possível sentir o tremor.

Na manhã desta quarta-feira (24), o prefeito de Accumoli, Stefano Petrucci disse que a cidade desapareceu depois do terremoto. “Minha cidade não está mais aqui. Agora que a luz do dia chegou, vemos que a situação é ainda mais terrível do que temíamos, com edifícios em colapso, as pessoas presas sob os escombros e nenhum som de vida”.

Igreja doa 1 milhão de euros

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) determinou a imediata destinação de 1 milhão de euros (R$ 3,66 milhões) para as operações de socorro nas áreas atingidas pelo terremoto na Itália.

O dinheiro será usado para cobrir necessidades especiais e primeiras emergências. A entidade também fará uma arrecadação em todas as igrejas do país em 18 de setembro, quando acontece seu 26º Congresso Eucarístico.

Papa lamenta

Em sua audiência geral de hoje, o papa Francisco manifestou “grande dor” pelo terremoto que “devastou zonas inteiras e deixou mortos e feridos” na região central da Itália. O pontífice disse ter ficado “fortemente comovido” ao saber que a cidade de Amatrice foi destruída e que há crianças entre os mortos.

“Exprimo minha proximidade às pessoas presentes em todos os lugares atingidos pelo tremor, a todas as pessoas que perderam entes queridos e àquelas que ainda se sentem afetadas pelo medo”, acrescentou.

Informação correio24horas (Foto: AFP)