Os jogadores do Atlético Nacional, da Colômbia, prestaram outra homenagem ao time da Chapecoense na noite de sábado (03). Após vencer o Millonarios por 3 a 0 no estádio Atanasio Girardot, em Medellín, e se classificar à semifinal do Campeonato Colombiano, o elenco cantou “Vamos, Chape” no vestiário, no mesmo ritmo e coreografia que a equipe catarinense fez para comemorar a classificação à final da Copa Sul-Americana.

Os brasileiros fizeram a comemoração depois de eliminar o San Lorenzo, da Argentina, e se credenciar para enfrentar os colombianos na decisão. Porém, na rota para Medellín o avião da Chapecoense caiu a poucos quilômetros do aeroporto e causou a morte de 19 atletas que estavam no voo.

A tragédia causou comoção na Colômbia e o vídeo da equipe catarinense cantando “Vamos, Chape” se tornou bastante popular no país. O grito foi repetido pela torcida durante a partida de sábado e, no vestiário, os jogadores quiseram fazer a sua versão. “Fizemos essa pequena homenagem, ao cantar a música que vimos nas redes sociais. Para nós, tudo o que passou foi muito forte. Estamos sempre em risco, porque a cada dia viajamos”, afirmou o zagueiro e capitão do Atlético, Alexis Henríquez, ao sair do vestiário.

A cantoria foi registrada em vídeo e publicada em redes sociais. Também participaram da homenagem dois médicos de Chapecó que vieram à Colômbia para acompanhar a recuperação dos quatro sobreviventes. O intensivista Edson Stakonski e o ortopedista Marcos André Sonagli participaram da cantoria, que assim como a comemoração da Chapecoense, teve batidas nas mesas e nos armários do vestiário.”A equipe deles merece todas as memórias. Quisemos novamente demonstrar esse apoio ao time e ao público brasileiro”, comentou Henriquez.

A partida em Medellín teve um minuto de silêncio e mensagens de homenagem às vítimas no fim da partida, quando os dois capitães leram uma carta. Os jogadores do Atlético até mesmo pediram para que a torcida não vaiasse a fala do goleiro adversário, Brayan Silva.

Estadão Conteúdo