Após pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge e posterior decisão da Justiça do Rio de Janeiro, delegados da Polícia Federal terão acesso total e ilimitado as investigações sobre os assassinatos da vereadora do PSOL, Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

De acordo com O Globo, o pedido da magistrada para a entrada da PF no caso tem como finalidade analisar a conduta de agentes públicos que podem ter atrapalhado as investigações e o prosseguimento do caso.

A urgência na apuração da PF acontece após declarações do miliciano Orlando Oliveira de Araújo, que está preso em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Figura importante nas tentativas de elucidação do caso, Orlando Curicica, como é conhecido, teria afirmado que a Polícia Civil possui isenção questionável para finalizar as investigações dos assassinatos. O preso também revelou que existem esquemas de propina na Divisão de Homicídios (DH) que motiva a não conclusão dos inquéritos.

Do BN com foto: Reprodução / Instagram

COMPARTILHE
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •