terça-feira, abril 23, 2024

Lei transforma Alagoinhas da capital estadual da cerveja

Agora é oficial: Alagoinhas é a Capital Estadual da Cerveja. O projeto, de autoria da deputada Ludmilla Fiscina (PV), foi aprovado pela Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) no dia 18 de setembro e promulgado pelo presidente da Casa, deputado Adolfo Menezes, no último dia 10 de outubro. A nova lei também cria o Bahia Beer, festival de cerveja nos moldes do Oktoberfest que será realizado na cidade anualmente em novembro, e será reconhecido como manifestação cultural de interesse social e turístico para o município.

Segundo Ludmilla Fiscina, a homenagem se justifica pela reconhecida excelência da qualidade da água de Alagoinhas, o que tem atraído a instalação de grandes indústrias de bebidas ao local. “A nossa água é reconhecida como a melhor do Brasil e a segunda melhor do mundo para a indústria de bebidas”, afirmou ela, lembrando que essa característica foi fundamental para o surgimento de um polo industrial cervejeiro de grande porte no município.

A parlamentar contou ainda ter percorrido um longo caminho para a realização do festival da cerveja. “Tive audiência com os ministros Celso Sabino, do Turismo; e da Cultura, Margareth Menezes; com o secretário estadual de Turismo, Maurício Bacellar; diretores da Fecomércio, secretários municipais, vereadores e empresários de Alagoinhas”, disse ela, acrescentando: “Junto com o prefeito Joaquim Neto estamos unindo esforços para a concretização deste que será um dos maiores eventos do Litoral Norte e Agreste baiano”.

Para Ludmilla, o festival colocará a cidade nos holofotes de destino para consumidores cervejeiros e vai potencializar negócios entre produtores, agricultores e distribuidores, com oficinas com mestres cervejeiros, palestras, rodadas de negócios, exposição, degustação, música, entre outros. Atualmente, o polo de bebidas do município conta com fábricas do Grupo Petrópolis, Heineken, que também produz na cidade a cerveja Amstel, com previsão de implantação da Cervejaria Cidade Imperial.

Fonte ALBA

recentes