Líderes estrangeiros e autoridades israelenses participaram nesta sexta-feira (30) do funeral do ex-presidente e prêmio Nobel da Paz, Shimon Peres. Ele foi enterrado no cemitério Mount Herzl, em Jerusalém, nesta manhã. O líder isralense morreu na terça-feira (27), aos 93 anos, após ficar vários dias internado devido a um acidente vascular cerebral.

Durante as últimas homenagens, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou na presença do presidente palestino, Mahmoud Abbas, que “a paz segue sendo uma tarefa inacabada” no Oriente Médio, de acordo com a Reuters.

O presidente palestino precisou de uma autorização especial dos israelenses para ir até Jerusalém, o que não acontecia havia vários anos, relatou a France Presse.

Peres era o único sobrevivente dos três premiados com o Nobel da Paz em 1994 por seu envolvimento nos acordos de Oslo, que estabeleciam as bases de uma autonomia palestina e oferecia a esperança, hoje em dia muito distante, para uma solução do conflito israelense-palestino.

Aperto de mão
Pouco antes do início da cerimônia, Abbas apertou a mão do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Os dois conversaram rapidamente. “É bom te ver, fazia tempo”, disse Abbas ao chefe de Governo israelense, antes de saudar a esposa do premier, Sara Netanyahu. Eles não apertavam as mãos desde a reunião de cúpula sobre o clima de Paris, há quase um ano.

Nenhum outro presidente árabe compareceu ao funeral, mas o Egito, um dos países árabes que assinou a paz com Israel, enviou o ministro das Relações Exteriores. O ex-presidente americano Bill Clinton, a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente francês, François Hollande, também participam da cerimônia, entre outros líderes.

Em seu discurso, Netanyahu disse que Peres foi um “grande homem” para Israel e para o mundo e prometeu que a paz vai acontecer, em um discurso no funeral do prêmio Nobel da Paz em Jerusalém, segundo a France Presse. “Meu querido Shimon. Hoje choro por você. Eu amei você, todos o amamos. Haverá paz Shimon, meu querido, líder excepcional. Eu falo a você do fundo do meu coração”.

Na quinta (29), milhares de israelenses passaram pelo parlamento (Knesset) para fazer a última homenagem.

Do G1, em São Paulo – Foto: Baz Ratner/ Reuters