Mais de 30 mil venezuelanos chegaram ao Brasil desde o ano passado, com o início da crise no país vizinho. E um dos estados que mais sente a mudança na rotina com a chegada de imigrantes e refugiados é Roraima.

Famílias que precisaram abandonar suas casas, relata o G1, tem se sujeitado a viver em banheiros públicos na cidade de Paracaima, norte de Roraima.

“Eu tinha uma casa boa em Valencia [município venezuelano na região Central do país], mas faltava dinheiro. É que as coisas estão muito duras por lá”, disse Maribel Mendoza, uma das entrevistadas pela reportagem. Aos 49 anos, ela vive com a família e cerca de 50 pessoas em um banheiro da cidade.

Segundo a Humans Rights Watch, 80% dos pacientes do principal hospital da cidade são venezuelanos.

Na capital Boa Vista, funciona Centro de Referência ao Imigrante, que funciona em um ginásio poliesportivo e prestam auxílio à algumas famílias.

Noticias ao Minuto