quarta-feira, julho 17, 2024

Lula exige novo avião com cama de casal

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) enviou um pedido ao Ministério da Defesa para troca do avião presidencial, o Airbus A319-ACJ, o “Aerolula”. O petista deseja conta com uma aeronave mais confortável.

De acordo com o Estadão, Lula e primeira-dama Janja da Silva quer que o novo avião tenha cama de casal e banheiro com chuveiro, além de um gabinete de trabalho privativo, uma sala de reuniões e cerca de uma centena de poltronas semi-leito.

Ainda segundo a publicação, o Ministério da Defesa teria entregue ao Palácio do Planalto um estudo feito pela Força Aérea Brasileira (FAB) para a compra do “novo Aerolula”. A opção mais barata pode custar de US$ 70 milhões a US$ 80 milhões, o equivalente a cerca R$ 400 milhões.

A FAB encontrou uma aeronave usada, que está registrada em nome de uma empresa de leasing com sede na Suíça. Por questões de confidencialidade, o antigo dono não é revelado. No entanto, especialistas da área dizem acreditar que seria um dirigente árabe. Conforme o Estadão, esse modelo de avião é usado por príncipes e xeques árabes.

Inicialmente, a ideia era a reforma de um dos dois A330-200 da FAB, o que seria mais cara do que a compra de um avião usado. Entre as principais dificuldades para a conversão das aeronaves seria o fato de a Aeronáutica precisar deles para o reabastecimento em voo de seus caças, além do deslocamento rápido de pessoal e para socorro médico.

O pedido de Lula por uma nova aeronave vem sendo criticado pela oposição, classificando a solicitação como “irresponsabilidade”, especialmente pelo momento em meio a crise financeira pela qual passa o país.

No dia 4 deste mês, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) usou as suas redes sociais para criticar a possível compra. “Aerolula de centena$ de milhoe$ de reai$ pro pai dos pobres”, escreveu.

O atual avião usado por Lula foi comprado em 2004 por US$ 56,7 milhões (cerca de US$ 91,7 milhões, em valores atualizados). A aeronave conta com uma configuração comercial com 12 assentos semileitos e 114 da classe econômica. A aeronave é dividida em três sessões. A principal, na parte frontal tem dez poltronas e leva as principais autoridades. Há ainda uma área reservada ao presidente, com suíte privativa.

No meio do avião há uma sala de reunião, com poltronas mais largas e confortáveis ao redor de uma mesa de trabalho. Na parte traseira, viajam os assessores e demais convidados em cerca de 40 assentos semelhantes aos de aviões comerciais.

Fonte: Bnews

recentes