Lula já vinha recusando convites para participar de debates e eventos com os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Michel Temer.

O petista tem dito a interlocutores que não considera mais que os dois, que apoiaram o impeachment de Dilma Rousseff, são democratas.

Na segunda (1º), Lula foi explícito em relação a FHC ao dizer que não assinaria manifestos contra Jair Bolsonaro “com determinadas pessoas”.

As pessoas que convivem com Lula relatam que uma das mágoas do petista em relação a FHC foi o fato de ele nunca ter saído em defesa do petista na época em que ele foi condenado à prisão.

Já Temer não teria cumprido acordos políticos que teriam evitado a queda de Dilma, segundo relata Lula.

Os diferentes manifestos têm unido pessoas de polos extremos, como Caetano Veloso e Lobão.

Os organizadores do manifesto “Basta”, de advogados e juristas, conseguiram uma façanha: colocar no mesmo abaixo-assinado o ex-procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, estrela da Lava Jato, e um de seus maiores críticos, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

Por: Monica Bergamo, Folha  com imagem de reprodução/Instagram