Maioria dos vereadores de Serra Preta descarta os assuntos de interesse da população

Nas ultimas semanas ficou estabelecido e evidenciado que a maioria dos vereadores do município de Serra Preta, não se preocupa nem um pouco com os assuntos de interesse da população sofrida e carente de serviços públicos de qualidade.

Agindo totalmente diferente do que se espera dos integrantes do Poder Legislativo,  o presidente Adilson de Oliveira Santos (Adilson do Jacú), utilizando de informações inexistentes, alegando o aumento exorbitante de casos positivos para COVID-19, trancou a pauta da Câmara de Vereadores de Serra Preta, impedindo a discussão de projetos importantíssimos e relevantes.

Segundo o vereador Eliúde Miranda (PT), se chegou à quarta semana sem sessão ordinária o que é muito lamentável, inicialmente a alegação é que o problema de saúde do presidente,  provocou a paralisação dos trabalhos do legislativo serrapretense, não está contemplada no regimento interno. “Estamos com dois Projetos de Lei, desde o dia 9 de abril em tramitação, principalmente o que se refere ao auxílio emergencial, que a população carente tanto espera a aprovação e sem a Câmara funcionar os prejuízos gerados são enormes” disse o vereador Eliúde Miranda do (PT).

Na ultima sexta-feira (05), o vice-presidente Cesinha, os vereadores Romildo e Vilma do Peixe, compareceram para a realização da sessão ordinária que não foi possível acontecer diante da Portaria esdrúxula assinada pelo presidente Adilson do Jacú. “Mais uma vez só temos a lamentar a ausência dos colegas que se comprometeram em comparecer e ninguém sabe o porquê eles não vieram. Apelamos para o presidente Adilson do Jacú, que retorne com os trabalhos da Casa, estamos para entrar em recesso e caminhando para um mês sem sessão” enfatizou Vilma do Peixe.

No vídeo divulgado nas redes sociais a experiente vereadora Vilma do Peixe, disse que ninguém recebe o salário sem trabalhar e não pode ser diferente com os Vereadores. “Sabemos das nossas prerrogativas e para dirigir os trabalhos, estamos contando com a presença do vice-presidente Cesinha, que na ausência do presidente pode assumir o posto” concluiu Vilma do Peixe.

Em tempos de Pandemia, quando existe uma situação sanitária que impede a realização das sessões presenciais o caminho é a sessão virtual que permite a continuidade dos trabalhos, sem prejuízos das pautas de interesse do povo.

As informações são do portal Valter Vieira