Nesta quarta-feira (09), durante visita do governador Rui Costa, a cidade de Mairi na Bacia do Jacuípe, aconteceu um protesto silencioso de familiares pedindo justiça com relação ao caso Teva de Anum.

Irmãos e alguns parentes estiveram com faixas e cartazes, pedindo ao governador, prefeito e Ministério Público, uma resposta rápida, no resultado do DNA.

Caso Teva de Anum

Ateval Dias da Cruz “Teva de Anum” desapareceu no dia 08 de dezembro do ano passado. Depois de muitas buscas, no dia 07 de janeiro deste ano, foi encontrada uma ossada humana, próximo a uma pedreira, no município de Mairi.

De acordo com as primeiras informações, no local foram encontrados short, chave de uma residência e camisa do Mairi Júnior’s. A chave abriu a porta da casa que Teva morava.

A ossada foi encaminhada para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Jacobina para ser identificada a pessoa e a causa da morte.

Até então, suspeita-se que o cadáver pode ser de Ateval, conhecido como Teva de Anum, de 44 anos, natural de Mairi-BA. Um suspeito do sumiço de Teva foi preso, sendo solto em seguida, por falta de provas concretas.

Por Agmar Rios