Mais de um milhão de pessoas são esperadas para Lavagem do Bonfim; confira informações sobre festejo

78

A tradicional festa do Bonfim, que acontece nesta quinta-feira (11), mobiliza, todos os anos, baianos e turistas para uma das maiores manifestações religiosas e culturais da Bahia. Segundo a Empresa Salvador Turismo (Saltur), são esperadas mais de um milhão de pessoas no evento, que tem como tema ‘’Origem, identidade e missão do amado Jesus, Senhor do Bonfim’’ para a sua 248ª edição.

A história – Comemorado desde o século XVIII, o culto ao Senhor do Bonfim, na Bahia, teve início após o capitão de mar e guerra, Theodósio de Faria, que já tinha grande devoção pelo santo, ter sobrevivido a uma tempestade em alto mar e por gratidão prometeu construir uma igreja no ponto mais alto, onde pudesse ver a entrada da Baía de Todos os Santos, a Colina Sagrada. Então o capitão trouxe uma imagem de Lisboa para a Bahia na qual ficou guardada, em 1745, na igreja da Penha de França, em Itapagipe, enquanto o templo fosse construído. A imagem de Senhor do Bonfim foi para seu templo em uma procissão, em 1754, quando deu início a tradição.

Já a lavagem das escadarias e do adro da igreja do Senhor do Bonfim é um ato de religiosidade, antigamente feita pelos escravos que cantavam e dançavam durante o trabalho antes da festa, na qual as baianas levam água de cheiro com ervas para lavar a escada, o adro e banhar os fiéis.

Festejos – As comemorações iniciam com a caminhada de 8 km, nesta quinta-feira (11), entre a igreja de nossa Senhora da Conceição da Praia, no Comércio, e o Santuário do Senhor do Bonfim no alto da Colina Sagrada. Com previsão de saída às 8h, a população segue o cortejo, onde as baianas levarão água de cheiro em potes de cerâmica para jorrar nas cabeças dos devotos que buscam a proteção do santo e para a lavagem das escadarias do Bonfim.

Contudo, a lavagem não finaliza as celebrações, pois, no domingo (14) às 10h, haverá uma missa solene presidida pelo arcebispo primaz do Brasil, D. Murilo Krieger.

Bocâo News