Terça-feira, 9/8/16, acontecerá o Primeiro Turno em Ipirá. Lei é lei. A jacuzada vai com time reserva (Jota/Albertino); a macacada com time titular (Aníbal e ??? ). Na controvérsia dos dois grandes advogados, Marcelo Brandão marcou 1 a 0, mas Diomário Sá vai empatar de 1 a 1; se não for assim, eu não quero nem pensar no que vai acontecer na terça-feira.

Macacada 8 a 7 na terça-feira. Diomário Sá poderia protelar, mas deixou o barco correr solto porque tem certeza do placar. Fica mais em conta a eleição indireta do que um advogado especializado para entrar com recurso protelando. Se não acontecer esse placar para a macacada o mundo vai desabar. Tem que ter soldado do exército e a tropa da caatinga com bazuca para fazer a segurança, porque tapa, tabefe, tiro, tiroteio e o que acontecer vai ser café pequeno. Queira Deus que Jotinha não vire prefeito e que tudo continue como dantes no quartel de Abrantes.

Tu já vistes tanta trampizuma em tua vida? Que renúncia amaldiçoada essa da Verena! A distinta tem um sangue de aratubepa que derruba até macaco em pé de coentro. Aníbal não pode nem pensar em perder esse primeiro turno. Aí seria o fim dos tempos e do prestígio do Dió.

Tem gente que fica retado quando eu digo que Dió é medalha de ouro. Eu tenho que dar a César o que é de Cesar. Dió é ninja. Mais do que ninja, Dió é medalha de ouro no esgrima sem máscara. Dió fura os olhos dos inimigos, já furou os olhos da jacuzada três vezes, e dos amigos se ficarem de vacilo. Com a idéia do chapão, Dió ia botar no butiá da chapinha sem pena, mas descoberto em tempo, Dió errou o bote e mordeu o rabo do macaco.

Essa eleição de outubro/16 poderá ser o maior fiasco para a macacada. Poderá ser! A macacada poderá ficar com cinco vereadores, com a última vaga sendo uma disputa sensacional entre dois vereadores atuais (corrida de cem metros). Poderá acontecer! A macacada poderá ficar com três dos cinco vereadores que venha eleger em outubro; dois poderão vender seus mandatos na primeira esquina da próxima legislatura. Tudo poderá acontecer! E Diomário sabe de tudo isso e, por não ser besta nem coisa parecida, ele não pensa duas vezes e bota no forever até dos amigos. Que Deus o tenha bem distante.

Que venha a lei! Só com as duas convenções já gastaram uma grana boa; um dia de foguetório tem uma despesa significativa na conta eleitoral. Mas, vamos fazer de conta que isso aí não entra na conta do candidato. Não é que de repente, o eleitor resolveu ajudar os candidatos! Não pede gasolina; não pede colchão, botijão de gás, nem cimento; não quer que o candidato pague a conta da farmácia, da água e da luz; não quer que o candidato gaste na campanha. Que eleitorado caridoso da gota serena é esse! Desse jeito os candidatos não precisarão de caixa dois, três e “us cambal”.

A Lei Eleitoral determina que o candidato a prefeito gaste R$ 103 mil e o candidato a vereador R$ 10.800. Tem candidato que não vai obedecer a Lei Eleitoral nem no tapa ou no tapaço, vai viver só de trapaça. O que vai acontecer? Não sei. O Ministério Público é quem vai dizer se ele terá direito a medalha.

Por Agildo Barreto