Mencionado por suposto hacker, PT diz que inquérito de Moro é ‘armação contra o partido’

23

Por meio de nota, o PT afirmou que o inquérito aberto para investigar a invasão de telefones do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e de outras autoridades é “mais uma armação contra o partido”. O texto é assinado pela presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, e seus líderes no Congresso. Segundo a legenda, Moro comanda a investigação da Polícia Federal “com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT”.

“As investigações da PF sobre as pessoas presas em São Paulo confirmam a autenticidade das conversas ilegais e escandalosas que Moro tentou desqualificar nas últimas semanas. […] Acuado, o ex-juiz repete seus conhecidos métodos: prisões espetaculares e vazamentos direcionados contra seus adversários. […] Quem deve explicações ao país e à Justiça é Sergio Moro, não quem denuncia seus crimes.”

O partido classifica como “criminosa a tentativa de envolver” a sigla “num caso em que é Moro que tem de explicar e em que o maior implicado é filiado ao DEM”. O advogado de um dos jovens presos temporariamente pela PF disse que o objetivo do homem apontado como líder do grupo que supostamente invadiu celulares era vender o material obtido para o PT.

Leia a íntegra da nota da sigla

NOTA DO PARTIDO DOS TRABALHADORES

INQUÉRITO DE MORO É MAIS UMA ARMAÇÃO CONTRA O PT

O ministro Sergio Moro, responsável pela farsa judicial contra o ex-presidente Lula, comanda agora um inquérito da Polícia Federal com o claro objetivo de produzir mais uma armação contra o PT.

As investigações da PF sobre as pessoas presas em São Paulo confirmam a autenticidade das conversas ilegais e escandalosas que Moro tentou desqualificar nas últimas semanas.

Acuado, o ex-juiz repete seus conhecidos métodos: prisões espetaculares e vazamentos direcionados contra seus adversários. É criminosa a tentativa de envolver o PT num caso em que é Moro que tem de explicar e em que o maior implicado é filiado ao DEM.

O PT sempre foi alvo desse tipo de farsa, como ocorreu na véspera da eleição presidencial de 1989, quando a polícia vestiu camisetas do partido nos sequestradores do empresário Abílio Diniz antes de apresentá-los à imprensa.

O PT tomará as medidas judiciais cabíveis contra os agentes e os responsáveis por mais esta farsa. Quem deve explicações ao país e à Justiça é Sergio Moro, não quem denuncia seus crimes.

Brasília, 24 de julho de 2019

Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT
Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados
Humberto Costa, líder do PT no Senado Federal

Por: Redação BNews com imagem de Zanone Fraissat /Folhapress