O Ministério Público Federal de São Paulo (MPF-SP) denunciou o ex-presidente Lula (PT) e o ex-presidenciável, Guilherme Boulos (PSOL), líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), pela invasão do apartamento tríplex do Guarujá, em abril de 2018, poucos dias após a prisão do ex-presidente.

O apartamento foi ocupado por um grupo vinculado ao MTSTT. O MPF entende que Lula e Boulos devem responder por dano de propriedade. A conduta está tipificada no artigo 346 do Código Penal e prevê pena de seis meses a dois anos para quem “destruir ou danificar” coisa própria que está em poder de terceiro por decisão judicial.

O MPF entendeu que o ex-presidente estimulou a ocupação, após ter seu recurso negado e pena aumentada 12 anos e um mês. “Se eles me condenaram me deem pelo menos o apartamento […] Eu até já pedi para o Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar aquele apartamento. Já que é meu, ocupem”, afirmou Lula em discurso.

Boulos se manifestou via Twitter e classificou a denúncia como “a nova farsa do tríplex”. “A criminalização das lutas nunca vai nos calar”, declarou Boulos.

Por: Redação BNews com imagem de Fernando Frazão/Agência Brasil