sábado, maio 25, 2024

Muito além do pão de queijo: mandioca é usada em perfumes, porcelanato e até em poços de petróleo

Nesta segunda-feira ,22, comemorou-se o Dia Nacional da Mandioca, uma das plantas mais versáteis e essenciais para a alimentação em muitas partes do mundo. Além de ser um alimento básico em diversas culturas, esse tubérculo também pode ser utilizado como matéria-prima em uma variedade de produtos como perfumes, pão de queijo, adesivos vegetais, sorvete, no porcelanato e até na indústria petrolífera.

A Lorenz é uma das indústrias que desenvolve uma série de ingredientes produzidos com o amido ou fécula de mandioca. A companhia foi a primeira feculária a ser fundada na América Latina e é considerada a maior do Brasil nesse segmento, com mais de 1,2 mil produtores parceiros e com produção em torno de 280 mil toneladas por ano.

+Boa Safra dá início à negociação de ações primárias na B3

Com a mandioca, a empresa pertencente ao grupo GTFoods produz amidos modificados e pré-gelatinizados, amidos hidroxipropilados, maltodextrinas, dextrinas, xarope de glicose desidratados, polvilho azedo e adesivos vegetais. Mas, afinal, como esses ingredientes estão presentes em outros produtos? A gerente técnica e industrial da companhia, Roseli Bremm, listou algumas aplicações em que podem ser utilizados:

Sorvetes, balas de goma e molhos: a fécula da mandioca, nesse caso, é utilizada para produzir amidos modificados. Esses amidos oferecem melhorias nas características de gel, textura e resistência, podendo ser aplicados em outros diversos alimentos. “Eles conferem maior cremosidade e brilho, além de maior resistência às temperaturas, estando presente em sobremesas fabricadas de forma industrial”, destaca Roseli.

Pão de queijo: o pão de queijo pode ser produzido por meio de amidos pré-gelatinizados, feitos com a fécula da mandioca. Esses amidos conferem a capacidade de absorção de água, evitando a necessidade de cozimento ou altas temperaturas para obtenção da viscosidade e consistência. Eles mantêm características de sabor, textura e cor.

Hambúrgueres e empanados: esses alimentos são feitos com dextrinas, que são carboidratos complexos obtidos pela hidrólise do amido. Produzidos também com a fécula da mandioca, são empregados na indústria alimentícia como espessantes e aglutinantes.

Suplementos alimentares e perfumes: esses produtos são feitos com maltodextrinas obtidas por meio da hidrólise parcial do amido, podendo ser da fécula de mandioca. “As maltodextrinas podem ser aplicadas no encapsulamento e veículos em aromas e fragrâncias, substitutos de gordura e açúcar, suplementos alimentares, além de bebidas lácteas em pó e sorvetes”, destaca Roseli. Podem ser utilizadas também na fabricação de alimentos diet e light, garantindo dulçor, viscosidade e solubilidade.

Indústria petrolífera: o amido da mandioca também está presente neste setor. Transformado em amidos pré-gelatinizados, ele dá resistência e estabilidade a preparos para perfurações de poços de petróleo.

IstoÉ – Foto: Divulgação/ Lorenz

recentes