O Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) encerrou nesta sexta-feira (30), a publicação das análises de contas dos gestores (Prefeito e Presidente de Câmara) referentes ao exercício de 2015 no Território da Bacia do Jacuípe. Em todas foram imputados R$ 319.580,00 em multa e R$ 11.192.924,40 em ressarcimentos, somando R$ 11.512.504,40, equivalente a 8,97 maior que o ano de 2014, somente o município de Riachão do Jacuípe corresponde a 81,27% destes valores enquanto os 13 municípios corresponde a 18,73% do valor total.

DAS PREFEITURAS
Seis prefeituras tiveram suas contas reprovadas. Mairi pelo segundo ano consecutivo não foram julgadas, seis tiveram suas contas aprovadas com ressalva e Pé de Serra teve decisões mista, sendo as contas do prefeito falecido Hildefonso Vitório REPROVADAS e do atual prefeito Edgar Miranda APROVADA COM RESSALVA. A prefeita de Riachão do Jacuípe Tânia Regina Alves de Matos foi multada em R$ 60.000,00 e o TCM solicita a devolução aos cofres público o montante de R$ 9.294.858,60.

DAS CÂMARAS
Somente a Câmara de Pé de Serra teve suas contas reprovadas, as demais 13 tiveram suas contas aprovadas com ressalvas. A Câmara de Mairi, o gestor não foi multado. A maior multa foi pra câmara de Nova Fátima, e em Ipirá o TCM solicita a ressarcimento de 50 mil.

Em Ipirá as contas do exercício financeiro da Prefeitura Municipal em 2014 foram aprovadas com ressalvas e o então prefeito Ademildo Almeida multado em R$ 27.500,00.

As contas da Câmara Municipal também foram aprovadas com ressalvas e o presidente Anibal Ramos Aragão multado em R$ 5.000,00.

O exercício financeiro  da Prefeitura de Ipirá em 2015, teve suas contas aprovadas com ressalva. A Câmara Municipal teve suas contas aprovadas com ressalva e o presidente foi multado em R$ 2.500,00 e teve que ressarcir os cofres públicos o valor de R$ 50.000,00.

Caboronga Notícias com fonte do TCM